Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Qui | 25.11.21

Diz-me o que ouves (e o que não ouves) e eu digo-te quem és

Purpurina
Quando tinha uns 22 ou 23 anos, conheci um rapaz muito engraçado. Era bonito, interessante, aventureiro, muito bom conversador e tinha aquele ar despenteado e descomprometido de que eu gosto particularmente.  Ele era francês e, com ele, tive a maior conversação de que me lembro, em inglês. Quem me conhece sabe que inglês não é o meu forte, todavia, tagarela como sou, se tiver que ser, torno-me praticamente fluente, mesmo que pelo meio da conversa diga alguns disparates. (...)
Seg | 22.11.21

As coisas mais difíceis são as melhores

Purpurina
Disse ao Eduardo que lhe dava um gelado. Como ele tinha comido muito ao almoço e o gelado era grande, achei melhor não lhe dar logo a seguir à refeição. Passou as duas horas seguintes a pedir gelado e eu a dizer-lhe que quando estivesse na hora ou dava-lhe o gelado. Ele nunca fez birra nem nada parecido, limitando-se a perguntar calmamente se já podia comer o gelado. Umas dezenas de ações destas depois, lá lhe dei o gelado. Já tinha dado algumas dentadas no gelado quando se (...)
Qui | 18.11.21

O dia em que descobri a Filosofia como disciplina

Purpurina
Tinha 14 anos e estava no 10º ano, na primeira aula de Filosofia. Provavelmente a professora estaria a falar dos conteúdos que íamos dar durante o ano ou algo do género e eu fiquei logo extremamente surpreendida. Lembro-me perfeitamente de ter pensado: "A sério que é isto que vou estudar?! Pode ser mesmo real o facto da matéria escolar ser tudo o que povoa a minha mente desde que me lembro de existir?!" Achei aquilo extraordinário! Nunca imaginei, ao longo do meu percurso (...)
Ter | 16.11.21

Hoje respondo a 100 perguntas (sobre mim) que ninguém perguntou

Purpurina
O que posso dizer? Gosto de responder a estas coisas. Isto descontrai-me. É a minha versão feminina de levar a mente para uma "gaveta vazia". Colocado este preâmbulo, vamos a isto. Ser diplomático ou ser realista? A minha personalidade, vontade e hábitos vão quase sempre no sentido do realismo, mas, na verdade, às vezes é necessário ser diplomático e eu gostava de ser muito mais. Agir pela emoção ou pela razão? Ajo muitas vezes pela emoção. Quando é mesmo, mesmo, (...)
Sex | 12.11.21

Socorro! Os meus filhos são um pouco... esganados!

Purpurina
Sempre fui uma daquelas crianças chatas para comer. Não gostava de quase nada e era comum uma auxiliar da escola ter que ficar ao pé de mim, na cantina, para se assegurar de que comia alguma coisa. De alguma forma, isto passou-me na adolescência e agora custa-me é parar de comer. Enfim... não me lembro de ser esganada por comida. Por doces sim, mas por comida não. Lembro-me, também, de verificar com alguma surpresa,  atitudes meio esganadas de crianças que tinham vários (...)
Qua | 10.11.21

Eduardo #30

O desenrascado

Purpurina
Cá em casa, o Eduardo é quase sempre o primeiro a acordar. E, a primeira coisa que faz é ir ter connosco ao quarto e dizer que quer comer. Sendo que ele chega a acordar pelas 6h00 da manhã para comer, nós começámos a deixar de nos levantar para lhe dar comida e dissemos que teria que esperar que o resto das pessoas acordasse, para que pudéssemos tomar o pequeno-almoço todos juntos. Ouvindo isto, o nosso Eduardo resolveu mudar de técnica. Agora ele levanta-se pelas 7h00 da (...)
Seg | 08.11.21

Lara #45

A escultora de comida

Purpurina
É o que a Lara diz que quer ser quando crescer. O facto é que, com a comida e com as atividades do quotidiano em geral, a Lara nunca faz nada da forma habitual, ou típica ou esperada. Está sempre a inventar formas diferentes de fazer as coisas. E eu, que tantas vezes lhe digo para fazer as coisas convenientemente, pergunto-me o que é que é conveniente para ela? Deixar a sua imaginação fluir ou ser limitada por regras que nem sabemos quem inventou e que talvez não façam assim (...)
Qui | 04.11.21

Eduardo #28

O consciencioso

Purpurina
O Eduardo, com 3 anos e 2 meses, está naquela altura deliciosa em que vem para a cama dos pais a meio da noite. Nos últimos dias, como tínhamos colocado a lavar o resguardo da nossa cama, sempre que o Eduardo ficava lá a dormir colocava-lhe uma fralda, não fosse ele fazer um chichi na cama. Ele já não usa fralda de dia nem de noite e incomoda-o colocar fralda. Eu expliquei-lhe que lhe colocava a fralda porque se ele fizesse chichi na cama, molhava o colchão e seria uma grande (...)
Seg | 01.11.21

Não nos podemos mimar demais

Purpurina
Mas podemos mimar-nos alguma coisa. Um copo de vinho e um livro. Depois da saúde, família, amor, prosperidade, paz, meditação, yoga, pessoas alegres e inteligentes para conversar, cinema, comidinha boa, ver sítios novos e aprender qualquer coisa aqui e ali, não  preciso de muito mais para me sentir feliz!
Sab | 30.10.21

O que fazer com os miúdos em dias de chuva #1

Purpurina
Estão a chegar os dias de chuva e frio e prevê-se que os próximos fins de semana sejam passados em casa. Vai daí é preciso ocupar os miúdos com algo mais que a televisão. Se já estão fartos de puzzles, de plasticina e de fazer bolachas, hoje recomendo que façam bonecos de meias velhas. É divertido e fácil.  Aqui vai a receita, mas não se prendam por ela. Misturem os ingredientes à vontade e até podem juntar outros.  Bonecos de pano Material necessário: - meias velhas; (...)