Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Qui | 17.01.19

Eu tinha tantas certezas antes de ter filhos

Purpurina
Mesmo antes de saber que queria ser mãe, sabia exatamente como deveria ser educada uma criança.Sabia exatamente o que era e o que não era admissível e que tipo de atitude se devia ter em cada situação.Agora, que tenho 3 filhos, as minhas certezas anteriores dão-me vontade de rir... e de chorar.Perdi a conta aos livros que li sobre educação, sobre bebés, crianças, parentalidade, disciplina positiva, birras, alimentação saudável e tantas outras coisas. E continuo a ler. E, ao (...)
Qui | 10.01.19

Queda de cabelo pós parto: diferenças entre o 1º, o 2º e o 3º parto

Purpurina
 Atentem na foto artística (not)  atrás da cortina. Sempre tive um jeito muito moderado para isto das fotos mas tinha que ilustrar o post com qualquer coisa não é? Se calhar não. Adiante.1ª vezNa primeira vez que tive queda de cabelo pós parto fiquei em pânico e procurei logo um dermatologista. Fiz tudo o que ele disse e comprei uns comprimidos caríssimos, uma loção caríssima que dava imenso trabalho a aplicar e um champô igualmente caro. Uma loucura para conservar o cabelito.2 (...)
Seg | 07.01.19

Amamentar o terceiro filho

Purpurina
Antes da minha filha mais velha nascer não sabia se queria amamentar. Então decidi que não ia decidir nada. Logo se veria se estava na disposição de amamentar ou não. De qualquer maneira, para não ser apanhada desprevenida, fartei-me de ler sobre o assunto durante a gravidez.Quando a Lara nasceu quis amamentar. Não foi fácil, mesmo nada. Tive dores que fizeram o parto parecer uma brincadeira de crianças. Mas resisti e passados dois meses passou a ser maravilhoso (falo sobre a (...)
Qui | 03.01.19

Cá em casa não se desperdiça nada

Purpurina
(imagem daqui)A Lara gosta muito de comer sultanas douradas (passas de uva pequeninas e amarelinhas, vá).Estava ela a comer as ditas cujas na sala, enquanto via uns desenhos animados, quando a Maria também quis comer.Sabemos que a Maria não gosta de sultanas mas dissemos à Lara para lhe dar uma, nunca se sabe se passaria a gostar naquele momento.Passado um bocado (...)
Sex | 28.12.18

Fui à biblioteca em 10 minutos e trouxe estes livros

Purpurina
Hoje fui à biblioteca a correr, aproveitando que a minha sogra estava a tomar conta do Eduardo e antes de uma consulta no dentista.Na última vez que tinha ido à biblioteca tinha trazido apenas 2 livros para as miúdas e a Lara mostrou-se muito desiludida. Então hoje aproveitei uma oportunidade de 10 minutos para trazer os livros que conseguisse.Já se torna difícil escolher livros para trazer. Já trouxe dezenas (ou centenas) de livros da biblioteca. Já repeti muitos, os nossos (...)
Qui | 27.12.18

Como ensinar duas irmãs pequenas a dar-se bem?

Purpurina
Bom... não tenho receitas mágicas mas estou em aprendizagem constante.Tenho a Lara de 4 anos e a Maria, de 2 anos, numa fase onde as brigas têm sido diárias e muito saturantes.Com certeza que a maior parte dos pais de crianças pequenas irão identificar-se com isto: as brigas pelo mesmo brinquedo, as brigas por causa da quantidade de comida, das cadeiras, porque uma está a cantar na cama, porque a outra está muito encostada, porque uma tem a papa mais branquinha, porque a outra tem (...)
Qua | 19.12.18

Um segredo incrível que une os efeitos do ginásio e da dieta, sem precisar de sair de casa

Purpurina
Tenham filhos. Três de preferência. Uns a seguir aos outros. Recomendo. :DDeixam logo de precisar do ginásio. A vossa vida passa a ser um exercício constante, cerca de  20 horas por dia a mexer e a correr de um lado para o outro. Flexões, abdominais, pesos, velocidade, resistência... todos os músculos do corpo são trabalhados de formas diferentes. E não se preocupem com a possibilidade de desistirem do exercício ou de quererem fazer pausas: não vai haver essa possibilidade. (...)
Ter | 18.12.18

"Irmãos sem ciúmes": Este livro não é nada aquilo que eu esperava

Purpurina
 Recomendaram-me o livro: "Irmãos sem ciúmes" e decidi comprá-lo.Já o li quase todo e tenho-o sublinhado em várias páginas. Tem informação bastante relevante e útil e não posso dizer que me tenha arrependido de o ter comprado. É um livro a que vou voltar, certamente, muitas vezes e que me tem ajudado a alterar o meu comportamento e, consequentemente, o comportamento das minhas filhas.Todavia, a forma como o livro é escrito e a forma como as ideias são expostas, deixou-me (...)
Qua | 12.12.18

Ter três filhos pequenos: os maiores desafios

Purpurina
Cá em casa somos 5 e é uma maravilha, a família com que sempre sonhei, mesmo sem saber.Gosto que sejamos tantos, gosto do barulho na casa, da agitação constante, do facto de estarmos sempre uns em cima dos outros por opção, de ter sempre alguém a pedir a minha atenção e agarrado às minhas pernas. Neste momento, a minha felicidade é feita destas coisas e, mesmo quando estou aos gritos e bastante arreliada, tenho perfeita consciência de que estou feliz.Mas ninguém se engane: (...)
Seg | 10.12.18

Mimos de mãe

Purpurina
Há umas semanas que a Lara refere ter medo de ficar no quarto, de noite.Não sei muito bem quão real é este medo e se não é apenas uma forma de nos ter ali ao pé dela até adormecer, mas tem sido recorrente.Então lembrei-me de fazer uns bonequinhos que teriam o poder de afugentar qualquer "monstro" que se tentasse aproximar do quarto. Nasceram assim os soninhos: um para a Lara e um para a Maria.Não sei se foram muito eficientes com o medo (embora, nos últimos dias, a Lara já (...)
Sex | 07.12.18

Coisas doces que partilho com a Lara

Purpurina
Gelados artesanais italianos num dia de chuva.Somos as duas tão malucas por gelados que saímos de casa num domingo de chuva, bem encasacadas, para ir comer um belo gelado artesanal.O dela de bolacha Mulata, o meu de pistachio e canela. Deliciosos. Dos melhores que já comi.Enquanto comíamos, nem falávamos. Ficávamos ali a saborear o gelado numa cumplicidade gira entre as duas.
Qui | 06.12.18

4 meses de Eduardo

Purpurina
E ao terceiro filho ainda me surpreendo com esta coisa estranha e fantástica que é a maternidade.Gosto deste miúdo como se fosse o meu primeiro bebé. Cada coisa que ele faz, cada sorriso, cada olhar deixam-me numa felicidade inexplicável.E das minhas filhas, que brigam pela atenção deste bebé, gosto ainda mais a cada dia. Tão crescidas, tão surpreendentes e tão amorosas que são.Aos 4 meses, o Eduardo está com 67 cm e 7 kg.Continua a mamar de 2 em 2 horas (mesmo de noite) e (...)
Seg | 03.12.18

Maria #17

Purpurina
 Estes dias têm sido especialmente desafiantes. As miúdas, felizmente, são bastante enérgicas e ativas e, como qualquer criança da idade delas, têm alguma dificuldade em obedecer, ouvir o que nós dizemos e ficar quietas durante muito tempo. A hora das refeições tem sido a mais desafiante de todas. Fazer com que as duas comam o jantar sem se sujarem todas, sem levar uma hora inteira, sem se levantarem da mesa e sem brigarem uma com a outra tem sido praticamente impossível. Por (...)
Sex | 30.11.18

Conversas da Lara #18

Purpurina
Já tenho mencionado aqui que as conversas que tenho com a Lara,na cama, antes dela dormir, são do melhor que há.Temos sempre o hábito de contarmos como foi o dia de cada uma (ela também faz o mesmo quando é o pai a deita-la) e, no meio da conversa, achei por bem dizer-lhe que ela era muito sortuda por ter dois irmãos, por ter um quarto tão fofinho e poder dividi-lo com a Maria e depois com e Eduardo.Disse-lhe que sempre quis ter irmãos, alguém com quem partilhar as coisas do dia (...)
Ter | 27.11.18

A primeira história que a Lara criou

Purpurina
 A Folia do MonstroA Lara tinha ficado comigo em casa e estava a fazer uns desenhos numas folhas, enquanto eu escrevia no computador.Algum tempo depois, já as duas sentadas no sofá, ela diz-me que inventou e desenhou uma história e pergunta-me se eu a quero ouvir.Encantada, digo que sim e começa a Lara, muito baixinho:"A mãe, o Eduardo e a Lara foram dar um passeio mas perderam-se e foram pelo caminho errado.Então apareceu um monstro. O monstro queria colocar-nos numa prisão e (...)
Sex | 23.11.18

As crianças e o minimalismo

Purpurina
Temos poucos brinquedos cá em casa. Poucos não, os suficientes.Ainda assim, alguns estão arrumados na arrecadação para serem trocados ocasionalmente, quando os miúdos se fartarem de brincar com os que têm disponíveis de momento.Acredito muito nas vantagens de não ter a casa cheia de brinquedos: para além de ser mais fácil de a manter arrumada, cada brinquedo que temos torna-se mais especial e muito melhor explorado.Nada tenho a criticar a quem faz diferente e gosta de ter muitos (...)
Qui | 22.11.18

A primeira vez que o Eduardo chorou mesmo a sério

Purpurina
Foi aos dois meses e meio e, quando o ouvi a chorar na sala, fiquei um pouco aflita.Desde que nasceu nunca o tinha ouvido a chorar de forma tão estridente. Geralmente só mostra desagrado quando tem fome ou quer colo e só chega a choramingar se não for atendido logo (e ainda tem uma tolerância de alguns minutos).Mas naquele momento estava a chorar a plenos pulmões, aos gritos.Cheguei à sala e vi-o na espreguiçadeira, vermelhíssimo e aos gritos. Fiquei um bocado assustada e pensei (...)
Qua | 21.11.18

Conversas da Lara #17

Purpurina
Depois de uma tarde especialmente desafiante, polvilhada com birras e gritos de pais e filhos, estava eu na cama da Lara deitada com ela, como é costume eu ou o Milton fazermos todas as noites.Ela, meiguinha como é, está a fazer-me festinhas nas mãos e diz-me assim:- Mãe, se não fosses tão chata fazia-te ainda mais festinhas.Mas quem é que pode?! :D
Sab | 17.11.18

Uma reflexão sobre "subir às àrvores"

Purpurina
 Quando era pequena, pouco mais velha que a Lara, gostava muito de subir às árvores. Tive a sorte de crescer com um grande quintal cheio de árvores de fruto e muito espaço para brincar, saltar e pular. E era isso que fazia, por isso andava suja de terra muitas vezes.Tinha uma vizinha que tomava conta de mim, como “ama” que, em conversas com outra vizinha, me comparava com a sua neta da mesma idade. Era dito, à minha frente, que a outra menina era um primor de limpeza e (...)