Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Qui | 14.10.21

Eduardo #27

O animado

Purpurina
O Eduardo teve febre no inicio da semana e ficou comigo em casa.  A febre era baixa e ele esteve sempre muito bem disposto e animado, apesar de ter alguma tosse. À tarde já ele perguntava pelas irmãs e quando poderia ir para a escola com elas. Dizia que tinha saudades das irmãs, dos amigos e das professoras. No dia seguinte, tendo acordado sem febre, decidimos que o Eduardo ia para a escola. Quando estacionámos o carro, na escola, o Eduardo começou a gritar e a pular de (...)
Sab | 02.10.21

Eduardo #26

O cuidadoso

Purpurina
  O Eduardo pediu para comer uma banana cortada às rodelas e eu, querendo proporcionar-lhe alguma independência,  coloco a banana descascada num prato e, ao lado, deixo uma faca de refeição normal, de adulto (daquelas que não cortam nada). Ele, ao ver a faca ao lado do seu prato, pega nela e, todo indignado, vira-se para mim e diz-me que não pode usar aquela faca: "Mãeeeee, esta faca é muito perigosa para mim. É muito grande!!!!" E vai à gaveta buscar uma pequena faca de (...)
Qui | 30.09.21

Maria #52

As tangerinas

Purpurina
  A Maria está numa fase em que adora clementinas (chama-lhes tangerinas) e pede todos os dias para comer uma. Estávamos na cozinha e ela estava a alinhar algumas "tangerinas" na mesa, junto duma laranja. Supostamente a laranja seria a mãe das "tangerinas". Depois a Maria, desenvolvendo toda uma história na sua cabeça em que as frutas eram as personagens, disse:  "Lá vão as tangerinas tangerinar por ali."
Qui | 23.09.21

Quem nunca #1

Purpurina
Viu os filhos a fazer grandes cagadas, dignas de um grande ralhete, mas fingiu que não viu para que eles se continuassem a divertir? Sou eu. Ainda esta manhã. Depois de estarem vestidos e de pequeno almoço tomado, se sobra tempo até sairmos de casa, eles ficam a brincar uns com os outros (ainda estamos com o regime da televisão apenas aos fins de semana). Hoje, estranhei a ausência de choros e de discussões entre eles, substituídos por uma grande galhofa de gritinhos e gargalhadas. E (...)
Seg | 20.09.21

Os 7 maiores desafios diários de uma mãe de três

Purpurina
Há algum tempo, pedi que vocês me dissessem o que gostariam de ler por aqui e a Anita mencionou as dificuldades do dia a dia com 3 crianças pequenas. Achei um tema excelente, até porque às vezes acho que não falo muito das dificuldades quotidianas que sinto. Parece que nas alturas mais desafiadoras acabo por escrever menos. Na verdade gosto mais de trazer soluções do que problemas, mas falar dos (...)
Seg | 06.09.21

Eduardo #24

O influencer.

Purpurina
Já tinha decidido que não iria sair de casa naquele dia, nem sei bem porquê. O Eduardo chega de casa da avó com o pai, chega ao pé de mim, põe-me as mãozinhas na cara e pergunta, com a sua voz fofa e tranquila: "Mãe, podemos ir andar de escorrega? Podemos mãe, podemos?" Fomos. Saímos de lá pelas 22h00. Quem é que pode?   
Qua | 01.09.21

Primeira vez a acampar com os miúdos #2

Tudo o que fizemos nas Furnas

Purpurina
Passámos 3 noites e 3 dias nas Furnas. Já lá tínhamos estado, dezenas de vezes, com e sem os miúdos. Ainda assim, houve espaço para fazer coisas que nunca tínhamos feito. Eis o que fizemos de especial: - Estivemos um dia inteiro na praia, mesmo até ao final da tarde.  Pode não parecer nada de especial, mas já nem me lembro há quantos anos eu não fazia isso. Provavelmente, desde criança. Os miúdos, claro, adoraram. Energia não lhes faltava para correr, para se enfiarem (...)
Sex | 20.08.21

Eduardo, o empático

Purpurina
  Estávamos num jardim, ao final da tarde. As meninas andavam de patins e o Eduardo de triciclo. A Lara, fiel à sua personalidade aventureira, já não se contenta em andar de patins para cá e para lá e a descer rampas a grande velocidade. Ontem, decidiu começar a saltar os degraus de uma escadaria larga com os patins. Um a um, mas ainda assim, foi suficiente para eu desatar aos gritos, de forma um pouco instintiva. A Lara, aborrecida, sentou-se no chão. O Eduardo, vendo-a (...)
Qui | 12.08.21

Desabafos de uma mãe de três

Purpurina
Tenho passado muito tempo a gritar com os miúdos. Os meus vizinhos saberão. Esforço-me por evitar. Mesmo. Acho que temos melhorado alguma coisa, mas sinto-me meio louca quando tento dizer-lhes calmamente para pararem de se agredir uns aos outros (por exemplo). -Olha Lara, querida, pára de pontapear a tua irmã. -Eduardo, fofo, não arremesses esses objetos rijos em todos os sentidos, muito menos na direção de seres humanos, está bem? Às vezes não dá. Nota-se muito que (...)