Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Qui | 22.09.22

Maria #55 A minha filha prefere que eu grite!!!

Purpurina
Vivo numa luta diária contra a ansiedade e contra os gritos. Os meus, principalmente. Por qualquer coisa, até sem me aperceber, começo a falar alto, mesmo que não seja a gritar. Sempre que estou muito feliz ou entusiasmada, também tenho a tendência para elevar o tom de voz. É uma característica minha. Como podem compreender, é desagradável, tanto para mim como para quem está à minha volta. Por isso, todos os dias tento mudar um pouco. Faço yoga, meditação e, sempre que (...)
Dom | 31.07.22

A festa de 6 anos da Maria

Purpurina
A Maria quis comemorar os seus 6 anos na escola, numa festa com os amiguinhos da sua turma. Por causa da pandemia e dos confinamentos, a Maria nunca tinha tido uma festa na escola, e ela estava muito animada. E foi muito giro. Não conhecia bem a turma da Maria (também por causa da pandemia que nos manteve, a todos, afastados) e adorei conhecer os seus coleguinhas. São uns miúdos muito amorosos e divertidos. Fartam-se de dançar, de pular e de brincar juntos. São mesmo divertidos. (...)
Ter | 01.02.22

Maria #54

A psicóloga

Purpurina
A tampa da nossa sanita partiu-se. Comprámos uma tampa nova. O Milton tentou tirar o assento velho. Não teve sucesso. Usou as ferramentas que tinha e até marteladas aquilo levou. Sucesso nulo. No dia seguinte, trouxe uma ferramenta de um amigo. Novas tentativas.  Nada. Horas disto. Nada. Tentei ajudar. O sucesso foi igual. O amigo veio ajudar munido de um arsenal de ferramentas. O nosso amigo não só tirou o tampo antigo, como montou o novo em 15 minutos. À noite, ao jantar, a (...)
Qui | 20.01.22

Maria e o seu interesse pelo Salazar

Purpurina
Apesar de grande parte das convicções que eu tinha sobre educação terem caído por terra depois de eu ter sido mãe e, automaticamente, bafejada com uma avalanche de realidade, algumas mantiveram-se: - Faço um esforço consciente para ensinar os meus filhos a serem tolerantes e a não se sentirem inferiores ou superiores a ninguém; - Tento que se habituem a comer bem e sem excessos; - Ensino-lhes, sempre que surge uma boa oportunidade, as partes da história do mundo e de (...)
Sex | 07.01.22

Maria #53

A auto cabeleireira

Purpurina
Tinha cortado o cabelo à Maria direito. Sem franja, sem escadeado. Direitinho. Depois, reparei que ela parecia ter uma franja. No meio dos afazeres, não pensei mais nisso. Noutro dia, vejo mechas de cabelo no chão da casa de banho... E reparo que a Maria tem o cabelo ligeiramente escadeado. Prometi-lhe que não ralhava e ela contou-me que tinha andado a cortar o cabelo, com a tesoura de cortar o cabelo que guardamos na gaveta da casa de banho, em dias diferentes. Queria (...)
Qui | 30.09.21

Maria #52

As tangerinas

Purpurina
  A Maria está numa fase em que adora clementinas (chama-lhes tangerinas) e pede todos os dias para comer uma. Estávamos na cozinha e ela estava a alinhar algumas "tangerinas" na mesa, junto duma laranja. Supostamente a laranja seria a mãe das "tangerinas". Depois a Maria, desenvolvendo toda uma história na sua cabeça em que as frutas eram as personagens, disse:  "Lá vão as tangerinas tangerinar por ali."
Seg | 24.05.21

Maria #51

Purpurina
Na hora de almoço a Maria queixa-se: "Ui. Trinquei a língua." 3 Segundos depois, sou eu. "Ui. Olha... também trinquei a língua!" Diz-me a Maria, com ar muito empático: "Isto hoje não está fácil, mãe."