Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Seg | 02.01.23

Uma forma caricata de acordar os pais

Eduardo #45

Purpurina
Ontem deitámo-nos todos tarde e (nós os adultos) tínhamos a forte intenção de acordar igualmente tarde. Por isso pedimos, assertivamente, às crianças para não nos acordarem e evitarem qualquer barulho de manhã, em especial birras e brigas entre si. O Eduardo, o de quatro anos, deve ter passado algum tempo a pensar na forma mais inocente e criativa de nos acordar de manhã para montarmos a pista que o Pai Natal lhe trouxe. Acordámos com ele na nossa cabeceira a entoar, com a cara (...)
Seg | 26.12.22

Como atenuar os efeitos de um mau comportamento, quando se tem quatro anos

Eduardo #44

Purpurina
                              Aprendi, com os meus filhos, que ter irmãos de idades próximas pode ser semelhante a viver na selva.  Não raramente, os meus filhos andam à pancada uns com os outros. Sempre por bons motivos, com é evidente. Ontem, por exemplo, durante uma discussão sobre quem seria o proprietário de um pijama com coelhinhos, o Eduardo deu um estalo à Maria que a deixou com a cara marcada. Obviamente ralhámos bastante com ele e tivemos uma longa (...)
Seg | 07.11.22

A enervante imaginação que se tem aos quatro anos

Purpurina
O Milton precisava de substituir uma lâmpada do farol do carro e, após comprar a dita cuja, guardou-a algures perto do manipulo das mudanças.  Estávamos a regressar com os miúdos da escola, quando ele se lembrou de que poderia colocar a lâmpada nessa tarde e começou a procurá-la junto ao local onde a tinha deixado. Não a encontrou. Eu procurei também e nada.  Perguntámos aos miúdos se tinham mexido nela. Diz o Eduardo: "Sim, tirei-a para brincar com ela." Nós:  "E (...)
Sex | 30.09.22

Eduardo #43

Purpurina
De manhã, o Eduardo chega ao pé de mim e diz: "Mãe, fecha os olhos." Leva-me até à sala pela mão e diz-me que já posso abrir os olhos.  Vejo todas as almofadas, que geralmente estão espalhadas pelo chão, perfeitamente alinhadas no sofá. Faço um grande espanto e dou-lhe uma data de beijos naquelas bochechas boas, enquanto o Eduardo se ri,  envergonhado. Meu rico filho. A fazer uma surpresa à sua mãe logo de manhã. Tem 4 anos e já tanto jeito para lidar com as (...)
Ter | 30.08.22

Os quatro anos do Eduardo e uma festa cheia de peripécias

Purpurina
O nosso bebé fez quatro anos. Já se torna complicado considerar o Eduardo um bebé há bastante tempo, mas, por algum motivo, os quatro anos parecem-me o limite para isso. Qualquer dia vou ter mesmo de deixar de lhe dar comida à boca e começar a coloca-lo a adormecer na sua própria cama. Talvez este seja um tópico para desenvolver num outro texto. À semelhança das irmãs, este ano o Eduardo pediu para fazer uma festa com os seus amiguinhos da escola.   Escolhemos o sítio, (...)
Qui | 18.08.22

Eduardo #42

Comer tomate

Purpurina
Quando a minha filha Lara, com 4 anos, estava a comer salada de tomate e via que a Maria (na altura com 2 anos) não comia, eu disse-lhe que as crianças só precisavam  de comer tomate crú depois dos 4 anos. Disse-lhe isso porque não queria que ela se sentisse injustiçada, ou deixasse de querer comer tomate.  E, aos 2 anos, não estava a ver mesmo como fazer a Maria comer tomate crú. Com a Maria e o Eduardo a conversa foi a  mesma, por isso, o Eduardo andava a ouvir há algum (...)
Qua | 03.08.22

O meu filho de 4 anos pensa que nasceu em 1827

Purpurina
Num domingo de manhã: Maria:  "Mãe, vamos ao pesqueiro hoje?" Eu: "Podemos ir se conseguimos limpar a casa toda e fazer tudo o que temos para fazer: lavar e arrumar roupa, limpar o pó, fazer o almoço, lavar a casa de banho, levar o lixo. Se todos ajudarem, será mais rápido." Diz o Eduardo, com quase 4 anos, do sofá: "As meninas ajudam e eu fico a ver televisão. Eu não sei trabalhar." Depois de me rir bastante, respondo: "Estás numa rica altura  para começar a aprender (...)
Qui | 28.07.22

Eduardo #41

O audaz

Purpurina
O Eduardo, talvez por ser o terceiro filho e estar habituado a lutar bastante para conseguir levar a sua avante com as irmãs, é um rapaz muito despachado em situações de potencial conflito. Na feira medieval, colocaram uma fita suspensa entre duas árvores, que creio que servia para fazer equilibrismo e, num instante os miúdos começaram a brincar com aquilo. Outras crianças começaram a aproximar-se e a querer fazer o mesmo, por começaram a fazer fila, para andar na fita. A (...)
Sex | 22.07.22

Eduardo #40

Purpurina
Quando cheguei à cozinha estava a Maria a reclamar, com a roupa cheia de sumo. No chão estava um copo de lado e uma poça de sumo. Resumo dos acontecimentos anteriores: o Eduardo arremessou uma maçã à Maria, que estava do outro lado da mesa, e atingiu o copo de sumo da Maria. Final da história: o que veem na foto. Limpou o chão todo sem reclamar. E limpou bem.  Limpou a parede a  máquina de lavar a louça por fora sem eu lhe pedir. Vá lá. O rapaz é um bocado levado da (...)