Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Seg | 08.10.18

Coisas que todos adoram menos eu

Purpurina
 1- FutebolNão gosto, nunca gostei e não entendo como se pode gostar tanto. Curiosamente, nunca tive nenhum namorado que gostasse. Não que fosse um critério de seleção (ahahah).2- NutellaSou mesmo muito gulosa mas não posso com Nutella. Até já tentei comer mas não dá mesmo. Acho muito enjoativo.3- CarnavalNunca gostei. Faz-me tanto sentido mascarar-me e andar a pregar partidas por aí como ir dançar a lambada para o escritório.Não digo que nunca me vão encontrar por aí (...)
Sab | 06.10.18

"Conhecendo-me melhor"

Purpurina
  Já devo ter dito aqui que adoro Tags. Divirto-me muito a responder às perguntas e acho que as tags são, também, uma forma engraçada e leve de me conhecerem melhor.Cá vai mais uma, que encontrei no canal de Youtube da Luana Piovani (canal que acho divertidíssimo, mas não será consensual).1. És uma pessoa do dia ou da noite?Do dia, com certeza. Adoro manhãs e é de manhã que estou mais (...)
Sab | 29.09.18

Tudo é melhor

Purpurina
 " Quando Banzan passeava num mercado, ouviu uma conversa entre um carniceiro e um cliente.- Dê-me o melhor bocado de carne que tem, disse o cliente.- Na minha loja, tudo é o melhor, respondeu o carniceiro. Não encontrará aqui nenhum bocado de carne que não seja o melhor!Ao ouvir estas palavras, Banzan tornou-se um iluminado."
Dom | 09.09.18

Isto não é um post nada popular

Purpurina
 É sobre coisas que me passam completamente ao lado, como o mundial de futebol ou qualquer tipo de futebol e desporto em geral.A verdade é que também não tenho tempo para ver os jogos mas, mesmo quando tinha, era raro ver.Não me interesso mesmo nada, nada de nada. Nadica.Já vi jogos, há uns anos, e até senti uma ponta de emoção (uma ponta muito pequenina tenho que admitir). Também já vi jogos em locais públicos, rodeada de gente, e ser a única  (eu e quem estava comigo) a (...)
Qua | 22.08.18

Uma das coisas mais importantes que ainda ando a aprender

Purpurina
  A não ter pressa. A não querer ter tudo planeado com semanas ou meses de antecedência. Que a importância das coisas é muito relativa e, geralmente, é apenas aquela que lhe queremos dar. Sempre fui de planear, de andar apressada e de querer produzir muito. Só assim tinha a sensação de “trabalho feito”. Hoje tento lutar contra isso todos os dias. E agradeço os contratempos e todas as coisas que preenchem o meu dia e me fazem abrandar e repensar as minhas prioridades. Ho (...)
Sex | 03.08.18

50 factos sobre mim

Purpurina
Foto tirada na maternidade, quando nasceu a Maria.   1 - Sou filha única. 2 - Sempre desejei muito ter irmãos.3 - Saí de casa dos meus pais, em Alpiarça, com 22 anos, para viver sozinha em Lisboa.4 - Nos 6 anos em que vivi sozinha em Lisboa aprendi quase tudo o que sei sobre a vida e as pessoas. Foram anos muito bons mas muito loucos. Não me arrependo de nada. :)5 - Desde que saí de casa dos meus pais que mudei de casa mais de 10 vezes. Adoro mudanças.6 - Comecei a trabalhar com (...)
Qua | 25.07.18

Ironias da maternidade #1

Purpurina
   Lembro-me bem de ter vinte e poucos anos e achar a maior parte das criancinhas extremamente irritante.A coisa acentuou-se durante os anos em que trabalhei numa loja de roupa de crianças e via coisas que considerava bastante caricatas (na verdade considerava-as horrendas): miúdas a 3 anos a darem valentes estaladões nos pais porque não queriam vestir (ou despir) uma roupa; crianças que mandavam artigos da loja ao chão e se punham a pular em cima deles, outros que tiravam (...)
Sex | 06.07.18

Uma reflexão sobre a evolução do meu biquíni

Purpurina
A imagem que vêm ali em cima podia bem ser a do meu fato de banho há uns anos atrás (vários anos). Usava sempre uma espécie de "asa delta" ou algo mais pequeno ainda (se é que me entendem). O limite era mesmo o nudismo.Não era por nada mais do que não gostar de marcas de biquíni visíveis. Quanto mais conseguisse bronzear melhor. Não que alguma vez tivesse conseguido algo parecido com um bom bronzeado - era mais vermelho lagosta, pele a cair e branca outra vez - mas pronto, (...)
Seg | 18.06.18

Aquele tempo em que eu não tinha nada para fazer

Purpurina
Existiu uma altura na minha vida, entre os 21 e os 26 ou 27 anos, em que não tinha absolutamente nada para fazer.Vivia em Lisboa, sozinha, e trabalhava numa loja de roupa no Centro Comercial Colombo. Trabalhava ao fim de semana e feriados, em turnos que podiam acabar às 00h00, e tinha folgas rotativas duas vezes por semana. O trabalho não me realizava minimamente mas fazia-se bem e com as colegas (que são minhas amigas até hoje) tinha uma relação muito boa.Não tinha grandes planos (...)
Ter | 12.06.18

Coisas que me fazem perder a paciência

Purpurina
 A falta de pontualidade em contexto profissional. Digo em contexto profissional porque a nível pessoal, embora também não seja muito agradável, é mais tolerável, pelo menos para mim. Eu não sou propriamente a pessoa mais pontual do mundo, principalmente ao fim de semana ou nas férias, alturas em que a descontração e a ausência de correrias são totalmente bemvindas. Mas, quando tenho um compromisso e a nível profissional, considero a pontualidade um reflexo de seriedade, (...)