Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Sab | 30.03.19

Sobre a coleção "Happy" da Zippy

Purpurina
Ora muito boa tarde! O Eduardo e Maria dormem a sesta, a Lara faz atividades aqui ao meu lado, o Milton está a fazer compras e eu aproveito e tempo livre para opinar sobre as opiniões acerca da nova coleção de roupa da Zippy. Passo a contextualizar a questão: A Zippy lançou uma coleção de roupa sem género, ou seja, é para menino e menina. Diz a Zippy: "Nesta cápsula, as cores assumem total protagonismo. Cada cor procura representar uma personalidade e cada peça a (...)
Seg | 18.03.19

Reações no Youtube a músicas do Conan Osíris

Purpurina
Decididamente gosto do Conan Osíris. Para mim é totalmente impossível não gostar. Adoro as performances, as letras, a personagem, a pessoa que parece ser e, acima de tudo, o facto de ser genuíno e pouco (ou nada) se importar com o que os outros pensam de si.  Felizmente, vivemos num país livre e as pessoas têm direito a expressar as suas opiniões embora nem sempre o façam de uma forma muito educada, principalmente nas Redes Sociais. Ainda assim, tenho tendência a procurar a (...)
Ter | 05.03.19

Bitaites sobre moda

Purpurina
Indico já no título que estas reflexões estão ao nível do bitaite, ou seja, não se colam muito à necessidade, pertinência ou erudição. Vamos assumir, então, que são reflexões superficiais e lúdicas. Posto isto, passo a refletir. Pergunto-me eu, que até uso algumas marcas por considerar que têm qualidade e um design interessante, porque é que alguém há de investir um valor acima da média num produto que tem em letras garrafais o nome da marca? Fazer publicidade de (...)
Qui | 21.02.19

5 coisas que tenho a dizer sobre o Conan Osíris

Purpurina
Ora quem vem a ser o Conan Osíris? Sei pouco sobre ele, mas posso partilhar. É um jovem que está a participar na Eurovisão com uma música pouco consensual. Nas suas atuações faz-se acompanhar por um bailarino cuja performance também é pouco consensual. Podemos considerar o Canan Osíris uma personagem daquelas se geram emoções muito fortes: ou se ama ou se odeia. Há quem o compare ao António Variações, há quem considere a sua música inovadora e muito "à frente no (...)
Ter | 20.06.17

Mais amor, por favor

Purpurina
O que as pessoas precisam, neste momento, é de empatia, daquela prática, que nos faz levantar e ir ajudar quem precisa.   Daquela que nos faz esquecer coisas pequenas e nos guia toda a acção para as coisas necessárias, para aquelas que são realmente urgentes e essenciais.   Se é importante ter formas de jornalismo mais sério e respeitoso? Claro que é. Sempre foi. Há tanto tempo que é!   Se é importante agora? Se é o mais importante agora? Acredito que não é.  
Qua | 02.03.16

Sobre a barriga da Carolina Patrocínio

Purpurina
   A Carolina Patrocínio é uma apresentadora de televisão portuguesa que, atualmente, deve ser mais conhecida pelas suas barrigas de grávida do que por outro motivo qualquer.   Não sei muito sobre ela, não acompanho o trabalho dela, mas é muito difícil fugir a toda a polémica instalada à volta do seu estilo de vida e ao facto de praticar exercício físico na gravidez de uma forma que a maioria das mulheres parece considerar desadequada.   O que me chama a atenção (...)
Qui | 26.11.15

Coisas que me fazem espécie #3

Purpurina
  Pessoas que têm blogs para falar mal de outras pessoas que têm blogs.   Claro que estamos todos vivos e nem sempre bem dispostos e é inevitável, uma vez ou outra, falarmos de coisas  e pessoas que não nos caíram no goto por algum motivo (ou este post não estivesse dedicado a "coisas que me fazem espécie).  Mas daí a fazer todo um blog sobre isso...   Custa-me a acreditar que se dedique tanto tempo e pensamentos a pensar mal de alguém e a espalhá-lo pela (...)
Ter | 01.09.15

Sim, a minha filha de 17 meses usa o iPad

Purpurina
  Aplicação gratuita "A Quinta"   E sim, eu já achei mal, o facto de algumas mães darem o iPad aos seus filhos na hora da refeição, ou em outras alturas, só para os distraírem. Sim, eu já me arrependi de quase todos esses pensamentos que tive quando ainda não era mãe.   Agora, penso de forma diferente, mas sei (e respeito) que existem opiniões diferentes da minha e pessoas que encaram as iCoisas como perniciosidades tecnológicas que podem tornar os filhos num sociopata em (...)
Qua | 19.08.15

Sim, não dou doces à minha filha...

Purpurina
E faz-me verdadeira confusão que, por vezes, as pessoas tenham dificuldade em perceber a minha opção.   Tenho uma cena com o açúcar. É uma coisa minha, de que já falei aqui várias vezes, que me faz pensar na alimentação da minha filha de uma forma (pelos vistos) muito peculiar.   Eu adoro doces. Muito mesmo.Felizmente, o paladar é algo que se "treina" e já não sou tão gulosa como antes. O problema é que não posso comer doces como gostaria e isso não tem sido macio nem (...)
Sab | 13.06.15

Furar as orelhas aos bebés?!

Purpurina
Furaram-me as orelhas quando era bebé.Na adolescência fiz mais 2 furos com pistola, numa ourivesaria, que me doeram imenso e me deixaram as orelhas a arder durante longas horas. Alguns meses depois, furei eu própria as orelhas com uma agulha de costura, umas 8 vezes. Naquela altura "usava-se" uma fileira de argolas de prata pela orelha acima. Nos primeiros furos, "anestesiei" a zona com um cubo de gelo, nos últimos nem por isso. Acreditem ou não, doeu muito menos que com a pistola na (...)
Qui | 23.10.14

As (peculiares) preocupações das pessoas

Purpurina
  Andava eu a passear pela blogosfera, quando me deparo, em muitos dos meus blogs preferidos, com o tema quente do momento: a cara da Renée Zellweger. Parece que a eterna Bridget Jones, depois de algum tempo sem aparecer nos ecrãs, surgiu irreconhecível num evento social, o que logo fez a imprensa internacional desconfiar da intervenção de um bisturi ou, pelo menos, de uma "seringada" de botox, naquela carinha outrora laroca. Ora, (...)
Qui | 16.10.14

Sobre Reclamações

Purpurina
Costumo dizer, mais ou menos a sério, que sou uma profissional das reclamações. Isto porque, sendo filha única, tenho uma baixa tolerância à frustração e, quando me deparo com situações menos agradáveis, salta-me logo a tampa. Mentira, não é por isso. Bem, se calhar é um pouco mas, a principal razão porque reclamo, é por considerar que cada um de nós é responsável pelo mundo onde vive e, negligenciar uma situação desagradável com o silêncio, é uma espécie de (...)
Seg | 25.08.14

Coisas que me afligem

Purpurina
Precisar de comprar coisas para rechear um pequeno lar e, cada vez que entro numa superfície comercial da especialidade, parece que entrei numa loja vintage de mau gosto (assim numa abordagem mais simpática da coisa) ou num freak show da Idade Média (numa abordagem mais realista da coisa). E passo a anunciar os vencedores nas categorias dos bibelots mais bizarros: Segundo lugar  Molduras para exibir (...)