Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Seg | 28.02.22

Os livros que fizeram a minha filha de 7 anos começar a ler desenfreadamente

Purpurina
Quando a Lara nasceu, tinha muitas expetativas. Não sabia nada. Ainda sei pouco. Primeiro esperei que se mexesse, que sorrisse, que pegasse em alguma coisa com as mãos. Estava ansiosa para que brincasse e muito ansiosa para que falasse e começasse a conversar comigo (hoje em dia não é muito conversadora, gosta mais de criar coisas). Esperei que adorasse a irmã, depois o irmão e brincasse muito com eles, tanto quanto eu desejei fazer com um irmão  ou irmã que nunca tive.  So (...)
Qui | 30.12.21

Voltei a ler desenfreadamente

Purpurina
Este foi o primeiro livro que li, de forma desenfreada, em 7 anos. E foi ótimo! Que sensação boa minha gente. Aproveitar cada momento, cada pausa, cada ida ao WC para ler sem parar. Já tinha lido a autobiografia  do Woody Allen, mas demorei bastante tempo a terminar. Entretanto já acabei mais um livro, o "Escrever" do Stephen King e estou a ler a uma velocidade inacreditável "O Filho de Mil Homens" de Valter Hugo Mãe. Ler é uma das atividades que mais me faz feliz e, vejo (...)
Qua | 25.08.21

7 formas de estimular o gosto pela leitura nas crianças

Purpurina
    Já falei sobre isto algumas vezes.  Por aqui não é difícil estimular a leitura nos miúdos. Os pais adoram ler, temos sempre livros diferentes em casa, frequentamos a biblioteca e lemos para eles desde miúdos. Penso que estas são as ações básicas para estimular uma criança a ler. Para além disto, há mais um ou dois truques que podem ajudar a estimular o gosto pela leitura nos mais pequenos. 1- Transformar a ida à biblioteca num momento especial. Falo sobre isso uns (...)
Qui | 20.09.18

Como ensinar as crianças a gostar de ler?

Purpurina
    Sei que uma criança pode gostar de ler sem ser ensinada. Eu adoro ler desde que aprendi a faze-lo, com 6 anos, na escola primária. Lia tudo o que me aparecia à frente (umas coisas mais adequadas que outras) e os meus tios mais novos começaram a emprestar-me os seus livros de banda desenhada da Disney que eu lia e relia dezenas de vezes. Mais tarde, descobri as biblioteca e a minha vida nunca mais foi igual. Foi muito mas muito melhor! Na minha casa ninguém lia e chegavam a (...)