Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Seg | 10.08.20

Curiosidades sobre mim #1

Uma das melhores formas de me acalmar

Purpurina
É destralhando. Destralhar e deitar excessos fora deixa-me de alma lavada. O problema é que, entusiasmando-me, sou capaz de começar a deitar coisas fora de uma forma mais ou menos compulsiva. Começo por deitar fora (ou doar) o que está estragado, depois as coisas que não uso à algum tempo, depois as coisas de que não gosto muito, depois as que são difíceis de lavar, ou de passar a ferro, ou as coisas que naquele dia me chatearam por algum motivo... e quando dou por mim já (...)
Qua | 10.06.20

Isto está a tornar-se uma obsessão!

Purpurina
Minimalismo. Umas vezes sinto que vou deitar tudo fora e que, quando quiser algo para vestir só vou encontrar leggings velhas e casacos de malha cheios de borboto, que por serem confortáveis me parecem ser objetos verdadeiramente úteis. As leggings, que os casacos com borboto são mais para o estilo (grunge). Outras vezes sinto que continuo a acumular demasiadas coisas em casa, no computador e na cabeça e que deveria ser muito mais radical nas minhas ações. Deveria apagar todos (...)
Dom | 12.04.20

Objetivo: Viver com o mínimo

Purpurina
É um dos meus objetivos. Não para um ano ou um mês, é algo que procuro todos os dias. Começo por viver com o mínimo de coisas materiais, mas depois quero passar também a levar esta forma de vida a outras áreas: quero viver com o mínimo de stress, o mínimo de preocupações, o mínimo de tensão, o mínimo de informação supérflua, o mínimo de planos e por aí fora. Para já, esta "quarentena" tem-me ajudado a focar no essencial: passar tempo de qualidade com a minha (...)
Qui | 19.03.20

O que é que o perfume e a música têm em comum?

Purpurina
Sabem aquela sensação de voltarem no tempo, e sentirem que regressaram a um momento muito particular e marcante da vossa vida, só por ouvirem uma música ou sentirem um determinado odor? As músicas têm esse poder especial e os perfumes também. Eu ia mais longe. Existem músicas que nos provocam emoções tão intensas que nos fazem ter saudades de coisas que nunca vivemos. A arte é fascinante, não é? Tenho o hábito "estranho" de ler os comentários no Youtube de (...)
Ter | 18.02.20

Isto é tão extraordinário que tenho que partilhar!!!

Purpurina
Acho mesmo que foi a primeira vez que me aconteceu algo assim! Não estava mesmo nada à espera... Realmente somos capazes de coisas inimagináveis! Depois de almoço saí com o Eduardo na cadeirinha e fui a pé até ao Centro Comercial. Correu tudo lindamente e, no Centro Comercial, dirigi-me a uma loja e comprei os dois itens de que precisava.  Paguei e vim embora. Diretamente para casa. Sem comprar mais nada, sem parar em outras lojas para espreitar. Nem naquelas, onde letras (...)
Qui | 06.02.20

Como decorar a casa de uma forma original quando somos minimalistas

Purpurina
Somos minimalistas. Vivemos com pouco: poucos móveis, poucos livros, poucas roupas, poucos sapatos, poucos acessórios e, sobretudo, poucos objetos decorativos. Ainda assim, vivemos numa casa que consideramos bonita e aconchegante, decorada em conformidade com o sentimento de alegria e felicidade que queremos imprimir aos nossos dias. Decoramos a casa sobretudo com objetos que são muito especiais para nós: na parede temos ilustrações da nossa família em banda desenhada, uma (...)
Dom | 10.03.19

E aplicar o minimalismo aos pensamentos? Isso é que era.

Purpurina
Gosto de pensar que sou minimalista e, de facto, acho mesmo o que sou. Materialmente falando, pelo menos. Tenho poucas coisas: pouca roupa, poucos sapatos, poucos acessórios, poucos móveis e poucos pertences em geral.  Agora há uma secção que me pertence que está mesmo a precisar de ser destralhada: a minha mente. A minha mente bem podia ser minimalista. Tenho tantos pensamentos desnecessários, tantas ideias que não tenho tempo para concretizar que fico zonza só de pensar nisso. (...)
Sex | 23.11.18

As crianças e o minimalismo

Purpurina
Temos poucos brinquedos cá em casa. Poucos não, os suficientes. Ainda assim, alguns estão arrumados na arrecadação para serem trocados ocasionalmente, quando os miúdos se fartarem de brincar com os que têm disponíveis de momento. Acredito muito nas vantagens de não ter a casa cheia de brinquedos: para além de ser mais fácil de a manter arrumada, cada brinquedo que temos torna-se mais especial e muito melhor explorado. Nada tenho a criticar a quem faz diferente e gosta de ter (...)
Ter | 23.10.18

3 dicas para poupar em vestuário

Purpurina
  O tema da poupança sempre me foi muito próximo. Desde pequena que a minha mãe me ensinou a poupar, principalmente através do exemplo.  Com 13 anos, tive o meu primeiro trabalho remunerado e, a partir, daí ganhei um verdadeiro gosto pela poupança. Na altura, poupava sobretudo para poder comprar roupa de marca e coisas que eram importantes para mim mas eram mais caras e os meus pais não me iam, evidentemente, comprar. Mas, ao mesmo tempo, reservava sempre uma parte do dinheiro (...)
Sex | 05.10.18

Dica minimalista #1

Purpurina
  Quando se parte ou estraga algum objeto cá em casa aproveito para não o substituir. Fico alguns dias sem esse objeto até perceber se ele realmente me faz falta ou não. Normalmente não faz porque desde que tomei esta resolução (há vários meses) já se partiram várias coisas e nada foi substituído.