Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Qua | 09.05.18

O meu segredo para lidar com as birras aos 4 anos

Purpurina
Sempre considerei a Lara muito bem comportada e obediente.Claro que na fase dos 2 anos foi mais difícil, teve a fase de nos levantar a mão, de fazer birras e de testar os nossos limites mas sempre conseguimos lidar com tudo mais ou menos serenamente e sem grandes stresses.Por volta dos 3 anos já tudo parecia controladíssimo. A Lara nunca mais voltou a tentar bater-nos nem a fazer grandes birras.Agora aos 4, quando já estávamos todos descansadinhos e convencidos de que a fase pior já (...)
Qua | 02.05.18

Não bato nem grito (ou tento não gritar) com as minhas filhas mas...

Purpurina
  A Lara é uma menina muito bem comportada mas, como muitas crianças de 4 anos, é enérgica e gosta mesmo é de estar sempre na brincadeira.Quando está sentada à mesa continua alegremente a brincar, a fazer malabarismos e caretas e a levantar-se várias vezes durante a refeição.Já lhe explicámos várias vezes, a todas as refeições, que não se levanta da cadeira durante a refeição (a não ser para ir à casa de banho, por exemplo, e sempre pedindo licença), que não se (...)
Seg | 23.04.18

Há dias em que me falta a paciência

Purpurina
  Até esperava ter mais dias desses, tendo em consideração a minha personalidade ansiosa mas creio que não são tantos assim. Há dias que ando mais cansada ou mais nervosa e a minha tolerância encolhe bastante. Nesses dias o tom de voz sobe rapidamente e os gestos tornam-se mais bruscos e impacientes. As situações que me causam mais stress e reações mais exageradas são quando a Lara me desobedece, como quando temos que sair de um parque por exemplo, e ela se recusa. Mesmo (...)
Dom | 11.03.18

Como tenho aplicado o método de Maria Montessori na educação das minhas fiilhas

Purpurina
Já tinha ouvido falar da Maria Montessori - médica e pedagoga conhecida por ter criado o método pedagógico Montessoriano, "que revolucionou a forma como a criança é compreendida e respeitada" - através da youtuber Flávia Calina e das camas Montessorianas, baixinhas e mais adequadas à criança.O meu conhecimento sobre Maria Montessori era bastante genérico e superficial mas, desde que li um livro dela - Montessori em Família - passei a interessar-me bastante pelo seu método.Ret (...)
Ter | 27.02.18

Estou a ensinar a Lara a escrever

Purpurina
Na verdade já podia ter começado mais cedo mas sempre achei (e continuo a achar) que a Lara está em idade de brincar e não de aprender coisas que terá muito tempo de aprender na escola. Acho que é cedo para aprender a ler, a escrever e a fazer contas. A Lara vai fazer 4 anos.Mas se ela mostra interesse e se diverte a aprender porque não ensinar-lhe a escrever?Foi o que fiz. Peguei num pedaço de cartão que tinha guardado para ela desenhar e escrevi o nome dela em maiúsculas.  D (...)
Dom | 28.01.18

Os livros que me ensinaram a ser mãe

Purpurina
   Antes de ser mãe eu sabia o seguinte sobre maternidade:zero, nicles, nada, absolutamente coisa nenhuma.Não tinha experiência nenhuma, nunca tinha visto um recém nascido e escusava-me sempre a pegar em bebés.De modo que quando engravidei da Lara fiz a única coisa que me pareceu razoável: estudei. Estudei muito, li manuais inteiros sobre os primeiros anos do bebé e da criança, li blogues, fóruns e muitos livros sobre educação.Claro que mais tarde percebi que o que nos (...)
Sex | 05.01.18

Como mãe sei que estou a errar mas quero muito fazer melhor

Purpurina
 Tento fazer, todos os dias, o melhor que consigo em relação às minhas filhas.Estou presente, brinco com elas, dou-lhes atenção, mostro caminhos e coloco-as à frente de qualquer outra coisa na minha vida. Nada é mais importante que as minhas filhas.Sei que tenho que lhes dar muito amor, tempo, atenção, educação e cuidados. Também sei que é nos primeiros anos de vida que desenvolvem competências e traços de personalidade que serão muito importantes toda a sua vida.É aqui (...)
Qui | 28.12.17

O que ando a ler

Purpurina
 "Educar com Mindfulness" de Mikaela ÖvénQuando engravidei da Lara li todos os livros que encontrei sobre partos e sobre maternidade. E sobre educação, disciplina positiva e cuidados básicos do bebé e da criança. Lia todos os livros do princípio ao fim, sem saltar nenhuma página. Até lia as partes sobre os meninos, mesmo já sabendo que ia ter uma menina.E continuo a ler muito sobre isto da maternidade. Leio blogues, participo em fóruns e grupos de Facebook de maternidade, (...)
Ter | 26.12.17

Coisas que quero ensinar às minhas filhas e uma receita de bolachinhas deliciosas

Purpurina
Sempre tive uma ideia muito romântica sobre esta coisa de educar um ser humano. Achava fantástica esta oportunidade de incutir valores e formas de estar a uma pessoa em formação. Nunca tive ideias românticas sobre a gravidez, a amamentação, os abraços dos filhos, as vezes em que nos dizem espontaneamente que gostam de nós. Claro que passei a amar estas coisas (como não o fazer?) mas antes de as conhecer não pensava nelas. Mas na educação sim.Se calhar (muito provavelmente) (...)
Qua | 13.12.17

Ser mãe não é fácil

Purpurina
É maravilhoso, recompensador, o melhor desafio de todos mas não é fácil. Ser mãe tem sido a maior aventura da minha vida. Ser mãe testa todos os dias os meus limites físicos e psicológicos. Ser mãe é estar preparada para, sem darmos por isso e por vontade própria, ficarmos sempre em segundo lugar, ou terceiro, ou quarto. É ver no simples ato de beber um café ou almoçar com o namorado sozinha, o maior luxo do mundo. É estar preparada para me arrastar cheia de sono pela (...)
Ter | 28.11.17

A importância do convívio

Purpurina
Nisto de educar filhos não há mesmo receitas mágicas e regras infalíveis. Isso é mais do que sabido. Continuo a ler livros sobre educação, a trocar ideias com outras mães, a participar em grupos de discussão no Facebook, sobre disciplina positiva, alimentação saudável, etc. Continuo, sobretudo, a aprender muito com as minhas filhas. Acho que, com uma filha de três anos e meio e outra de um e meio (totalmente diferentes uma da outra) ainda tenho mais dúvidas do que certezas.
Sex | 10.11.17

Elas dão connosco em doidos

Purpurina
Nisto de ter duas filhas pequenas sinto que agora é que estamos "a ver como é que é". Bom... sublinho, sempre, que foi a melhor ideia que já tive na vida e a melhor coisa do mundo isto de ter duas filhas. Mas é também o maior trabalho e o maior desafio que já tive.Elas estão numa idade bem interessante. A Lara, já com personalidade bem definida, quer continuar a controlar o território físico e emocional que sempre foi seu.A Maria, com 16 meses, começa a definir a sua (...)
Sex | 03.11.17

Quando cuido das minhas filhas estou a cuidar da minha criança interior

Purpurina
Muitas vezes olhos para as minhas filhas, principalmente para a Lara que é claramente mais parecida comigo, e vejo a criança que fui. Ou melhor, vejo uma versão muito melhor da criança que fui. Olho para as minhas duas meninas e vejo-me menina, assumo os meus pensamentos, os meus medos e as minhas alegrias de infância. Quando beijo as minhas filhas de noite e lhes digo que são a minha maior felicidade e alegria, estou a fazer exatamente aquilo que me faria sentido como criança.
Ter | 31.10.17

As crianças têm sempre razão

Purpurina
  Ontem  a minha filha mais velha, de 3 anos e meio, passou o dia a fazer birras. Choramingava por isto ou por aquilo, aborrecia a irmã mais nova, quando saímos de casa não andava direita, sentava-se no chão, pedia colo a toda a hora e o mais comum de tudo: fazia constantemente o contrário do que lhe dizíamos para fazer e desafiava-nos a toda a hora. Confesso que perdi a paciência várias vezes, principalmente quando estávamos fora de casa. Falei mais vezes do que gostaria de (...)
Qua | 25.10.17

Como é criar filhos nos Açores?

Purpurina
 Vivo nos Açores, em Ponta Delgada, há mais de 7 anos. As minhas filhas nasceram aqui.  Antes, vivia em Lisboa e adorava. Só posso falar sobre a minha experiência a educar crianças nos Açores porque é a única que conheço. Educar crianças nos Açores é bom, é fácil e agradável por vários motivos. 1- Aqui tudo é pertinho: escolas, centros médicos, jardins, parques, praia, piscinas, as casas dos amigos, o local de trabalho. Por ser tudo tão perto, ganhamos imenso (...)
Seg | 25.09.17

A minha filha de 3 anos já sabe escrever

Purpurina
Ontem, antes de dormir, a Lara estava a brincar com as letras do Scrabble. Ela ia pedindo para escrevermos palavras e eu ia-lhe dando as letras certas para as palavras que ela queria escrever: pai, avó, mão, Carla, Maria. Eu ia-lhe dando as letras e ia dizendo qual a ordem certa, claro. De repente ela disse que ia escrever Lara. E escreveu. Quando fomos ver tinha escrito Lara com as letras do scrabble. Pronto, ela já viu Lara escrito muitas vezes e com certeza decorou mas fiquei (...)
Qui | 07.09.17

Felicidade dos filhos: o que podemos fazer?

Purpurina
 As escolhas dos pais têm relevância na felicidade dos filhos? Se pudéssemos escolher a personalidade dos nossos filhos certamente que, entre todas as características que poderíamos desejar para eles, estariam a calma, serenidade, a capacidade de relativizar e agir com moderação e inteligência emocional.  Creio que todos concordamos que uma pessoa calma, ponderada e otimista tem mais hipóteses de ser feliz e bem sucedida do que uma pessoa que possua características inversas a (...)
Qui | 10.08.17

As fadas dos doces

Purpurina
Na creche da Lara, quando uma criança faz anos, os pais levam um bolinho para o lanche dos meninos. As educadoras recomendam sempre que seja um bolo simples, sem cremes e sem recheio. Em alguns aniversários, existem lembranças para todos os meninos. A Lara já trouxe para casa bolachinhas, uma bandelete com orelhas de Minnie, chocolates, pipocas e rebuçados. As educadoras não dão as lembranças às crianças. Em vez disso, colocam-nas nas mochilas para trazerem para casa ao fim (...)
Qua | 26.07.17

Gritos, gritos e mais gritos

Purpurina
  E eu que pensava que já me tinha safado sem grandes birras (cuspi para o ar aqui) eis que me deparo com um fim de tarde de intensa berraria. Fomos buscar a Lara e a Maria quase às 19h00. Estávamos cansados, depois de um dia mais chato, e com um humor menos interessante. Em casa, era preciso fazer uma cama de lavado (Lara tinha feito chichi), arrumar e lavar roupa, cozinhar o (...)