Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Seg | 26.09.16

Tenho que vos contar a verdade sobre ter duas filhas pequenas

2Stressed-Mom-emily
Imagem daqui.
Contei aqui como me estava a dar bem com duas filhas pequenas e como estava tudo a ser fantástico.Pois é. Nessa altura isso era tudo verdade e ainda é. Só que não é sempre fantástico e, quando não é, pode ser bem difícil.Tudo começou quando tirámos a fralda à Lara... e ela ficou doente ao mesmo tempo.Ora a Lara (como qualquer outra criança presumo eu) é muito difícil quando fica doente: fica mais mimosa, faz muitas birras, chora imenso, acorda muitas vezes de noite, deixa de comer, fica irritável e de mau feitio, entre outros mimos.Ora a Maria exige colo o tempo todo, e mama, e atenção.Ora as duas ao mesmo tempo a chorar, a pedir colo e a exigir atenção é algo para gente valente e de aço. E eu não sei se estou à altura do desafio sempre que é preciso.O facto é que nunca me habituei a ter uma filha doente. Se calhar já me devia ter habituado, mas não. Fico sempre stressada, agastadíssima e nervosa. Só por muito pouco é que não ando a desmaiar pela casa com os nervos, mas chego a ficar com quebra de tensão. E isto nem é pelo trabalho dobrado, é mesmo pela preocupação que me causa ver uma filha com dores sem eu poder ajudar grande coisa.Felizmente o Milton não stressa tanto como eu e chegamos sempre a acordo sobre o que é melhor. Desta vez não a levámos ao médico e fomos tratando as coisas com supositórios para baixar a febre de noite e com água. Julgamos que teve laringite (à semelhança de outras vezes) e passou numa semana. Mas essa semana foi uma senhora semana. E uma senhora de muito mau feitio. Parecia que a semana nunca acabava.Quando uma gritava a outra chorava também. Quando tinha a Maria ao colo a Lara tentava trepar por mim acima. Acabei por me constipar também. Cada vez que largava a Lara e pegava na Maria lavava e desinfetava as mãos e mudava de camisola. Tudo isto no meio dos meus próprios espirros e de um grande cansaço.Entre as mamadas muito frequentes da Maria, as tentativas de fazer a Lara comer alguma coisa e colocá-la no bacio no meio de gritos e pontapés (dela) os meus nervos iam-se esfrangalhando aos poucos. Entretanto eu e o Milton fomos conseguindo manter alguma calma e sobrevivemos todos mais ou menos bem.A Lara já está melhor, a Maria está bem e só eu é que fiquei ainda com uma ranhoca no nariz (nada de especial). O pai e a mais nova safaram-se da constipação.Esta semana serviu-me para colocar as coisas em perspetiva e deixar de me queixar das birras da Lara ou da atenção constante que a Maria pede. Desde que não esteja ninguém doente, tudo o resto faz-se muito bem e com uma perna às costas (era bom, não era?!).De modo que agora já está tudo às mil maravilhas outra vez.

4 comentários

Comentar post