Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Seg | 13.11.17

5 músicas retro para dançar

Purpurina
Ando a ouvir coisas velhinhas. Também oiço coisas novas mas gosto bastante de ouvir uns bons “oldies”. Neste caso não estou a falar de músicas dos anos 40 ou 50 mas coisas que já têm uns 10 anos (ou mais) e de que oiço sempre como se tivessem surgido hoje.São coisas tão intemporais e tão "boa onda" que nunca deixam de ser interessantes.Esta versão da música dos Kiss. Adoro.
Dom | 10.09.17

Como fazer uma pausa no trabalho

Purpurina
 99% das pessoas vai até à varanda, com vista sobre o mar, e aproveita para conversar um bocadinho enquanto apanha sol, ar fresco e se deleita com a vista maravilhosa. Eu, mantenho-me na sala, coloco os headfones e oiço esta música de Leonard Cohen em repeat tentando descortinar a letra e a profundidade daquela voz. E perco-me por ali, como se andasse por um labirinto mágico de sombras azuis, durante um bocado.
Ter | 29.08.17

Coisas que me apoquentam muito e "Bowie 70"

Purpurina
Adoro David Bowie. Mesmo muito.Não o cantor, não a voz dele. Gosto dele como performer mas gosto dele, sobretudo, como escritor de canções. Reconheço nele um génio único para escrever canções e tenho nas músicas dele (muitas interpretadas por outras pessoas) as minhas preferidas de todos os tempos.Do David Fonseca não gosto muito. Não gosto, pessoalmente, do estilo dele como artista. Não acho horrível e reconheço-lhe bastante mérito, mas não me identifico.O recente (...)
Qua | 16.08.17

Sobre o efeito que a música tem em mim

Purpurina
Não gosto de música ambiente, nunca gostei. Confunde-me. Música ambiente, para mim, é ruído e desperdício. Não o afirmo como uma verdade absoluta, é apenas a minha realidade, totalmente subjetiva. Sinceramente, até me custa ouvir música de olhos abertos. Se pudesse optar pelo ideal, ouvia música sempre de uma de duas formas: a dançar ou da melhor forma possível, deitada num divã, sozinha, de olhos fechados. Quando posso fazer algo parecido com isso entro num estado de (...)
Qua | 10.05.17

Gosto de ser do contra

Purpurina
 Nem sempre acontece e nem sequer é de propósito mas tenho gosto nisso. Admito que gosto de ser do contra.Não o faço por norma e para "picar o miolo" mas, geralmente, vejo o outro lado das questões, sublinho a parte em que "não é bem assim".Acontecia nas aulas, acontece em conversas de grupo, às vezes no trabalho, entre amigos... em público e na mais privada das conversas. Gosto de discordar mas gosto, sobretudo, de explicar porque é que discordo e de perceber que trouxe algum (...)
Dom | 07.05.17

Às vezes, para mim, ouvir música é como visitar um museu

Purpurina
 Imaginem que entram num museu de arte e se deparam com um quadro completamente abstrato que vos chama a tenção por algum motivo. Podem ser as cores, as formas, ou até o título. Ou, se calhar, já conheciam a história daquele quadro e foram ali só para o ver e analisar. Seja como for ficam ali, à frente dele, de preferência sozinhos e sem qualquer ruído efetivo ou mental para vos desconcentrar. Estão ali só para o ver. Começam por ver o quadro ao longe e sentir o efeito que (...)
Sex | 24.02.17

Uma mãe de duas ainda tem tempo para estas coisas #1

Purpurina
 Gosto de procurar música na Internet e, quando encontro uma de que gosto, procurar várias versões dela. Se for um remix procuro, em primeiro lugar, o original e depois mais versões. Depois, oiço a minha versão preferida em repeat, e invento um vídeoclip para a música na minha cabeça. Gosto de fazer isso a qualquer hora do dia mas é de manhã, quando vou a caminho do trabalho, de headphones, que a minha cabeça está mais produtiva para estas coisas. Não raramente, subo os 5 (...)
Sex | 17.02.17

Eu sei que isto é muito contraditório

Purpurina
  Eu sei. Às vezes não me sinto uma pessoa muito “clara”. Às vezes sinto-me uma pessoa que usa diferentes pesos e diferentes medidas de acordo com as situações. Desde que sou mãe isto tornou-se gritante. Não sei se eu mudei muito – na verdade sinto-me a mesma pessoa – mas mudaram muitas coisas em mim. Deixei de querer levar a vida da forma intensa com que levava antes. Não me interpretem mal, a minha vida é muito intensa e os meus pensamentos continuam profundos (...)
Sex | 15.04.16

Sobre a minha forma de observar as pessoas

Purpurina
 Quando vou a um concerto quero sempre ficar na fila da frente. Faz-me mesmo muita diferença não ficar no sítio mais próximo possível dos músicos. Gosto de ouvir música ao vivo mas é muito mais do que isso. Gosto de observar as pessoas ao pormenor: as expressões da cara, a direção do olhar, o desalinho do cabelo, a forma como mexem as mãos, a forma como olham para o público ou, melhor do que isso, a forma como não o fazem e estão completamente inebriados na música que fazem. Poucas coisas me causam tanto interesse como observar pessoas a fazer aquilo que mais gostam e aquilo que melhor fazem. Isto aplica-se a tudo: gosto de ver uma pessoa a cozinhar, a tratar do filho, a costurar, a dançar, a pentear alguém... mas é (...)
Ter | 13.10.15

A minha banda preferida ou sou um pouco paranóica

Purpurina
  Radiohead tornou-se, a determinada altura, a minha banda preferida.É uma coisa física, espiritual, maníaca, não sei... Oiço as música e tudo o que eu sou revela-se ali, naqueles sons estranhos e perfeitos. Se pudesse desfiar a minha alma e transformá-la em algo "revelável" poderia transformá-la numa playlist com músicas de Radiohead. De modo que, quando soube que vinham a Lisboa (tinha uns 19 anos na altura), decidi que ia vê-los. Em primeira fila. Os bilhetes (...)
Ter | 05.05.15

Como conheci a música eletrónica

Purpurina
        Há muitos anos atrás eu não gostava de música eletrónica.Associava-a a carrinhos de choque, tuning e atividades similares.Um dia vou a um festival de música no Alentejo. Deve ter sido na primeira vez que fui ao "Sudoeste". Não fui ver nada de especial, fui porque os outros foram e me (...)