Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Ter | 31.10.17

As crianças têm sempre razão

Purpurina
  Ontem  a minha filha mais velha, de 3 anos e meio, passou o dia a fazer birras. Choramingava por isto ou por aquilo, aborrecia a irmã mais nova, quando saímos de casa não andava direita, sentava-se no chão, pedia colo a toda a hora e o mais comum de tudo: fazia constantemente o contrário do que lhe dizíamos para fazer e desafiava-nos a toda a hora. Confesso que perdi a paciência várias vezes, principalmente quando estávamos fora de casa. Falei mais vezes do que gostaria de (...)
Qua | 26.07.17

Gritos, gritos e mais gritos

Purpurina
  E eu que pensava que já me tinha safado sem grandes birras (cuspi para o ar aqui) eis que me deparo com um fim de tarde de intensa berraria. Fomos buscar a Lara e a Maria quase às 19h00. Estávamos cansados, depois de um dia mais chato, e com um humor menos interessante. Em casa, era preciso fazer uma cama de lavado (Lara tinha feito chichi), arrumar e lavar roupa, cozinhar o (...)
Seg | 15.05.17

Dica para controlar as birras

Purpurina
Explicar muito bem e muito calmamente, com palavras que as crianças possam entender, o porquê das coisas serem assim e o porquê de não poderem fazer o que querem naquele momento. Depois, meus amigos, é ignorar o choro e os gritos, caso continuem. Mas, vamos convir, será raro as crianças pararem uma birra logo que lhes damos argumentos válidos e sensatos. Pode acontecer, não digo que não, para aí umas 0,0000001% das vezes. De modo que é explicar e ignorar. Cá em casa claro.
Dom | 16.04.17

As birras que a minha filha de 3 anos não faz

Purpurina
 Sempre ouvi falar muito das famosas birras dos 2 anos.Até que a Lara fez 2 anos e fiquei à espera do pior. Não aconteceu.Se calhar sou eu que sou muito otimista ou tive sorte mas, contam-se pelos dedos de uma mão as birras feias que a Lara fez até hoje, com 3 anos. Ou então foram mais e eu já me esqueci (é possível). Não vou dizer que é criança sempre fácil porque seria mentira. É teimosa, muito sensível e mesmo muito enérgica e aventureira. Anda sempre a correr, a (...)
Sab | 26.11.16

Como lido com as birras da minha filha de 2 anos

Purpurina
 A certa altura, talvez pela chegada da irmã mais nova, a Lara começou a fazer birras gigantescas. Gritava muito (para desespero do pai), batia-nos, mandava com as coisas ao chão (se não queria comer não estava com rodeios, mandava logo o prato ao chão), entre outras coisas agradáveis e simpáticas.Nunca lhe batemos nem nada parecido com isso mas "passávamo-nos" muitas vezes.Não sabíamos como agir e, quando dava por mim, estava zangada, cansada e muito frustrada. Chegou uma (...)
Dom | 02.10.16

As birras dos 2 anos e as minhas lutas matinais com a Lara

Purpurina
[caption id="attachment_4433" align="aligncenter" width="680"]02 Birra[/caption]A Lara tem 28 meses, uma irmã de um mês e muita personalidade.Para além disso tem um pai alérgico a gritos e uma mãe com uma paciência muito limitada. Eis a receita perfeita para manhãs muito loucas e barulhentas.Eu sou mesmo muito impaciente, sempre fui.Todavia, desde que engravidei da Lara (ou desde que desejei engravidar) que fui trabalhando esta minha característica. Quando a Lara nasceu, algo se (...)
Sex | 30.09.16

Coisas (menos boas) desta mãe

Purpurina
A Lara esteve adoentada com o que julgamos ter sido laringite.Quando ela fica doente, fica bastante mais mimosa e desconsolada pelo que lhe damos muito mais "abébias". Não obrigamos a comer, damos muito mais mimos, ficamos deitados com ela na cama, pode ver desenhos animados durante mais tempo, entre vários salamaleques de volta dela. Isto, dentro do que consideramos razoável. Claro que não lhe damos doces nem a deixamos fazer tudo o que quer. E claro que lhe medimos a febre e (...)
Sab | 27.02.16

Socorro! A minha família não dorme há duas semanas!

Purpurina
 Ok. Não é que não durma nada nada. Dormimos uma hora seguida de vez em quando e, nos melhores dias, umas três horas seguidas. O que se passa é que a minha filha esteve doente, o que origina noites em que acorda 10 vezes e em que ficamos com ela, a embalá-la, a dormir com ela e a fazer 30 por uma linha para ela se acalmar. Resultado disso: vícios quase irreparáveis. Mesmo quando já não está doente, acorda várias vezes durante a noite, à espera dos mimos e da (...)