Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Qua | 31.05.17

A varicela da Lara

Lara com varicela 7.JPG

 

 

Houve um surto de varicela na escola da Lara e, logo que ouvimos falar dele, ficamos alerta.

Os dias foram passando e... nada. Soubemos que um dos miúdos mais próximos da Lara tinha ido para casa com varicela e esperámos as primeiras borbulhas. Nada.

Até uma semana depois. 

Foi na terça-feira. Quando o Milton foi buscar a Lara à escola disseram-lhe que estava com varicela. Tivémos sorte e ela pode ser atendida pela pediatra logo nesse dia, ao fim da tarde.

Chegou a casa com a medicação, instruções e com uma borbulhinha no pulso e outra na barriga. Eu, que me lembrava bem de ter tido varicela, com 7 anos e o corpo cheio de borbulhas pensei: "É isto? Duas borbulhas?"

Fiquei descansadíssima. Borbulhas pequenas, Lara bem disposta, tudo parecia simples e tranquilo. Sempre tinha que ficar uma semana com ela em casa mas não se previa chatice de maior.

Na quarta-feira apareceram mais umas borbulhas e as mais antigas cresceram e ganharam pus, ficando com a aparência de herpes. A Lara colocou-se no sofá de pernas cruzadas e aí ficou o dia todo, a ver desenhos animados. Estava bem disposta e sorridente, muito engraçada sem mexer as mãos, com medo de fazer dói-dóis.


Nos 3 dias seguintes é que foi... Dezenas (ou centenas) de borbulhas foram aparecendo pelo corpo todo: tronco, cara, braços e pernas, cabeça, dentro das orelhas, entre os dedos, palmas das mãos, até na língua e céu da boca. As borbulhas foram-se enchendo de um líquido amarelo e a Lara passava o dia inteiro, inteiro mesmo, a chorar e a gritar "Dói- dói". 


Durante dois dias teve mais de 39º de febre e praticamente só saía do sofá para ir à casa de banho. Dormia sestas curtas, constantemente interrompidas por choros e quixumes. :(

 

Passou 3 dias nisto. Já estávamos todos a ficar doidos! Ela gritava porque queria coçar, porque lhe fazia comichão, depois gritava porque tinha um cabelo no olho, porque queria mudar os desenhos animados... 

Deve ser muito aflitivo ter aquelas borbulhas todas no corpo mas confesso que já só me apetecia bater com a minha cabeça na parede com tanto grito... é que era constantemente! 

 

Durante duas noite ninguém dormiu em casa, só a Maria (felizmente ela manteve o sono regular, apesar do choro da Lara que estava sempre a acordar).

No domingo, 5º dia desde que descobrimos a primeira borbulha, comprei-lhe um balão parecido com um rebuçado e ela brincou com ele, aos pulinhos. Como fiquei feliz de a ver a rir, em pé e a brincar. Não foi durante muito tempo mas já era um avanço. E já não estava constantemente a chorar.

 

Depois, foi melhorando, e na segunda-feira, as borbulhas começaram a ficar em crosta e a Lara já brincava normalmente.


Para acalmar a comichão, demos banhos mornos com farinha maizena (umas duas ou 3 colheres misturadas na água). Ela ficava tranquila na água, a brincar com bonecos e chávenas de chá, mas depois de sair do banho, voltava ao mesmo por isso não posso dizer com certeza que tenha ajudado muito.

 

Felizmente, apesar das borbulhas demorarem a passar, a partir de segunda-feira tudo normalizou em termos de humor e genica.


Foi uma varicela agressiva, nem com todas as crianças é assim. Um menino nosso vizinho teve varicela depois da Lara e melhorou antes, tendo muito menos borbulhas... Cada caso é um caso.

De modo que, connosco foi assim: muitos desenhos animados, mimos e muita paciência (confesso que me falhou algumas vezes). Para isto não tenho truques, mezinhas ou dicas. É aguentar que há-de passar. :D


Se, por aí, alguém tiver dicas de como lidar melhor com os sintomas da varicela, por favor partilhe (nem que seja para tornar este texto um bocadinho mais útil). :)

10 comentários

Comentar post