Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Seg | 30.04.18

Bolo integral de iogurte e coco

IMG_2469 (1).jpg

 

No fim de semana fizemos mais uma experiência que ficou uma delícia.
Bolo de iogurte de coco integral. Ficou mesmo muito bom!
Coloquei açúcar mascavado mas apenas metade do que indicava na receita original e ficou maravilhoso assim. Também podem colocar açúcar de coco.

Deixo a receita tal como a fiz (não publico a original porque alterei tanto os ingredientes que o bolo ficou completamente diferente).

INGREDIENTES

Nota: A medida de copo é a do copo de iogurte.

  • 2 copos de iogurte de coco
  • 2/3 copo (de iogurte de óleo
  • 3 ovos 
  • 2 copos de farinha de trigo integral
  • 1 copo de coco ralado
  • 1 copo de açúcar mascavado
  • 1 colher de sopa de fermento em pó

 

Pré aqueçer o forno em 180 graus.

Bater com a batedeira os ingredientes líquidos e em seguida juntar o açúcar o coco e continuar a bater.

Juntar a farinha (misturada com o fermento) aos poucos e continuar a bater mais um minuto ou dois.

Colocar numa forma de buraco, de silicone, e levar ao forno cerca de 30 minutos ou até estar cozido (fazer o teste do palito).

 

Seg | 30.04.18

Lichias

lychees-605401_1280.jpg

 

Adoro!

Lembro-me da primeira vez que comi, tinha uns 15 anos, e do sabor fresco a rosas que tinha. 

Comprávamos mesmo num supermercado, com casca, e eram deliciosas.

Muito mais tarde é que encontrei lichias servidas nos restaurantes chineses. Também já comprei em lata,mas não é a mesma coisa.

Aqui nos Açores, nunca encontrei à venda sem ser em lata.

Aqui temos um fruto, mais seco que se chama Jambo e tem um sabor semelhante mas a textura é muito diferente. As lichias são sumarentas, de um branco translúcido e muito apetitosas.

 

Mais alguém fã desta fruta oriental?

Dom | 29.04.18

A nossa prática de hygge semanal

pizza de chouricao e ananas.jpg

 

Ou uma das nossas práticas. Isto da felicidade é muito mais simples do que parece e, muitas vezes, resume-se a pequenas coisas acessíveis que nos dão uma enorme sensação de conforto e satisfação.

Cá por casa gostamos de fazer, de vez em quando, pizza caseira para o jantar. Às vezes até comemos na sala, a ver uma série, depois das miúdas estarem a dormir. 

Faço a massa na bimby (como gostamos da massa bem fininha a receita dá para duas doses e congelo uma) e recheamos com molho de tomate caseiro, queijo ralado, ananás, peperoni, chourição ou fiambre de perú, pimentos, azeitonas, cogumelos... o que houver em casa.

Fica deliciosa e, talvez por ser feita por nós, a mim sabe-me melhor que qualquer uma que mande entregar em casa.

A Lara também já come e adora!

 

Sab | 28.04.18

Dois filmes muito bons, um que entretem bem e outro que é uma “pessegada”

 

popcorn-1085072_1280.jpg

 

Poderia e deveria ver muito mais filmes mas arranjo sempre tanto para fazer (entenda-se ler) que acabo por não conseguir fazer metade. 

 

Lá de tédio não me queixo. :) Ainda assim vi quatro filmes de que vos queria falar.

  

Os dois primeiros têm em comum a atriz Frances McDormand que já se tornou uma das minhas preferidas da atualidade.

 

Deixo-vos os links para o IMDB para verem o resumo e o trailer dos filmes se quiserem. Aqui só vou falar das minhas impressões sobre eles.

Os dois filmes que adorei:

Three Billboards Outside Ebbing
Friends With Money
 

Apesar de tratarem de histórias muito diferentes (e da história do primeiro ser muito mais pesada que a história do segundo) são semelhantes em muitas coisas. 

Ambos são muito humanos e crus sendo, ao mesmo tempo, povoados com um humor delicioso e desconcertante. Os guiões são maravilhosos e as interpretações sublimes. Estes dois são, sem dúvida, obras de arte cinematográficas que nos marcam deixando uma impressão que permanece. Adorei os dois.

 

 Filme que entretém: 

The Commuter

 

Este filme entretém bastante e é perfeito para ver descontraidamente, com um balde de pipocas. Não é muito intenso nem dramático e tem um nível de suspense e ação agradável. Não ficará na memória mas proporcionou competentemente momentos de distração muito apreciáveis.

 

 The Boss

 

Este é mesmo daqueles filmes de que não gosto nada. É uma comédia tola que terá o seu público e o seu valor mas que não podia estar mais longe daquilo que gosto e suporto ver. Não vos sei dizer porque é que vi este filme até ao fim. Não tenho explicação para isso.

 

E foi isto que vi no último mês. 

 

Ando mais numa fase de séries. Neste momento ando a ver estas:

 

The good wife

Santa Clarita Diet

How to get away with murder

 

 

Alguma sugestão de filmes e séries para mim? Antes que me dê para ver outra vez comédias duvidosas do Netflix. :p

 

Sex | 27.04.18

As nossas manhãs

manhas 7.jpg

 

Acordamos todos os dias pelas 7h00 da manhã.

A Maria é a primeira a acordar e o nosso despertador. A Lara tem sido a última a acordar mas nem sempre é assim, às vezes vem ter ao quarto para pedir para fazer chichi e acorda-nos.

A Lara acorda quase sempre bem disposta e exige todos os dias um grande abraço e beijinhos. É o nosso ritual do acordar.  Depois visto-a e levo-a para tomar o pequeno almoço (papas de aveia ou papas de arroz em dias alternados).

Entretanto é o Milton que tira a Maria do berço e lhe muda a fralda. Este processo é quase invariavelmente feito com os gritos da Maria como banda sonora. Acorda todos os dias de mau humor e grita até estar sentada na cadeirinha com a papa à frente. Já lhe demos uma bolacha assim que acorda, para comer logo, mas nem isso tem resultado. Acho que já nos habituámos a esta rotina "barulhenta". Depois de mudar a fralda, vestimos-la.

Na cozinha, a Maria come sozinha num instante. Geralmente quer repetir a papa (como é caseira deixamos) ou comer pão e queijo.

A Lara é vagarosa a comer e é preciso insistir muito com ela para que se despache. Às vezes damos-lhe nós o resto da papa.

Enquanto trato dos lanches das miúdas na cozinha, o Milton despacha-se para ir trabalhar. Neste momento estou mais tempo em casa e não preciso de me arranjar logo.

O Milton toma o pequeno almoço (eu tomo mais tarde) e as meninas podem ou não ver uns minutos de desenhos animados até irem para a creche, pelas 08h30.

Demoramos cerca de 1h30 desde que acordamos até o Milton e as miúdas saírem de casa. 

Não sinto que as manhãs sejam especialmente cansativas ou trabalhosas. Já criámos uma rotina que funciona bem e não há grandes stresses nem correrias de manhã.

Temos a questão da Maria que reclama bastante de manhã e ainda não encontrámos solução para isso mas tudo o resto funciona muito bem.

Lá de vez em quando existem umas divergências matinais entre as miúdas, normalmente causadas por disputas de brinquedos que ambas querem levar para a escola (cada uma pode levar um brinquedo). A Lara diz que não à Maria e a Maria tenta bater-lhe e puxar-lhe o cabelo. Sinceramente não acho nada de especial e só às vezes é que é necessário intervir.

Se calhar sou demasiado otimista mas considero as nossas manhãs relativamente fáceis e harmoniosas. :D

E as vossas manhãs, como são?

 

 

Qui | 26.04.18

O que trouxemos da biblioteca esta semana #4

Esta semana continuamos na mesma linha de livros que temos trazido: dicionários de imagens e livros de histórias do sapo (continuam a ser os meus preferidos).

Apesar de ir à biblioteca há anos, continuo a encontrar novidades de cada vez que lá vou (até porque estão sempre a aparecer livros novos na biblioteca).

 

Desta vez trouxe um livro com sugestões de atividades para fazer com a Maria e um livro de Educação Pré- Escolar para a Lara (não dá para fazer todos os exercícios mas existem muitas ideias giras e didáticas que posso aplicar com a Lara).

Deixo fotos dos livros "mais didáticos" que trouxemos. Já lemos todos várias vezes e são muito interessantes. Destaco os livros da última foto por serem bastante completos e terem imagens muito giras, principalmente o "Dicionário por Imagens dos Animais" que tem fotos muito realistas.



 

biblioteca 43.jpg

biblioteca 41.jpg

biblioteca 4.jpg

 

Qua | 25.04.18

Coisas maravilhosas nisto de sermos humanos #1

 

No dia em que se comemora a liberdade no nosso país gostaria de expressar o desejo de que todas as pessoas tenham a liberdade e a vontade de olhar todos os dias para as coisas boas que existem no mundo.

Que possamos todos olhar mais para as coisas boas, para as pessoas realmente bonitas e que possamos fazer também algo de bom e bonito todos os dias. 

Não é preciso fazer nada grandioso ou extremamente altruísta para ter um imenso significado. Não precisamos salvar o mundo, escrever um livro ou plantar uma árvore. 

Se amarmos a nossa família, se olharmos com atenção para a beleza que existe à nossa volta, se sorrirmos quando nos dirigimos a alguém, se cantarmos enquanto lavamos a loiça ou se nos sentarmos 5 minutos a meditar no chão da sala já estamos a ter uma vida com muito significado.

 

E a ser felizes! E as pessoas felizes fazem sempre a diferença na vida de todos os que se cruzam nas suas vidas.

 

Ter | 24.04.18

Almôndegas de quinoa e feijão preto com molho de tomate

IMG_2076 (1).jpg

 

As miúdas andam bastante desinteressadas de sopa, principalmente a Lara. Ela come na mesma mas vê-se que fica desiludidíssima quando vê um prato de sopa à frente e confesso que isso já me está a custar um bocado.

Nunca almejei ser uma cozinheira brilhante mas quero que os meus filhos sintam alguma alegria quando olham para o prato.

De modo que ando a tentar encontrar umas alternativas à sopa, para elas e para o pai que também não é fã de sopa.

Uma das últimas receitas que experimentei foi almôndegas de quinoa e feijão preto, que acompanhei do resto de quinoa que sobrou e de espinafres salteados com alho (que foi o Milton que fez e ficaram maravilhosos).

As miúdas adoraram aquelas bolinhas (devem ter achado piada ao formato) e comeram muito bem (sem os espinafres e o molho de tomate) por isso achei que valia a pena partilhar a receita que, como de costume, tirei na Internet e adaptei ao que tinha em casa.

Eu fiz mais ou menos a olho e rendeu 30 almôndegas e o molho fiz na bymbi.

 

 

Almôndegas de quinoa e feijão preto
 

Ingredientes:

  • 1 lata de feijão preto cozido 
  • 2 chávenas de chá de quinoa já cozida (cozer 20 minutos com água e sal)
  • 2 ovos
  • 1 chávena e meia de pão triturado no processador (usei restos de pão de milho que tinha congelado)
  • 1/2 chávena de farinha de arroz
  • 1 fio de azeite
  • 1 dente de alho picado
  •  óregãos, sal e pimenta

 

Desfazer o feijão no processador ou bimby até obter uma pasta.

Juntar a todos os ingredientes numa tigela grande e misturar bem.

Moldar bolinhas, colocar num tabuleiro forrado de papel vegetal, colocar um fio de azeite por cima e colocar no forno pré- aquecido a 180º durante cerca de 30 minutos.

 

Molho de Tomate

1 colher de sopa de azeite
1 cebola
2 dentes de alho
1 cenoura
1 lata de tomate em pedaços
1 colher de chá de açúcar mascavado, ou outro adoçante
sal, pimenta e oregãos a gosto


Colocar o azeite, a cebola, os alhos e a cenoura e picar 5seg/vel5.

Programar 5min/Varoma/vel1.

Juntar o tomate, o açúcar mascavado, temperar com sal, pimenta e oregãos e programar 25min/100º/vel1.


Bom apetite!
 
Seg | 23.04.18

E ir à praia quando se está mesmo muitooooo grávida?!

fato de banho gravida.jpg

 

Gosto sempre de ver grávidas na praia. Parecem-me sempre bonitas e felizes e acho que ficam lindamente de biquíni, com a barriga de fora. 

 

Mas o facto é que, para mim, prefiro fato de banho (grávida ou não). Sinto-me mais protegida e mais bonita.

 

Lembro-me de estar grávida da Maria, na praia, e de não me sentir nada à vontade.
É uma coisa minha que não tem qualquer tipo de justificação lógica na minha cabeça, mas sinto-me meio nua por não conseguir ver da minha barriga para baixo. Preciso, de alguma forma, de saber que há ali tecido a tapar as partes essenciais onde eu possa observar. :D

 

E, felizmente, há opções giríssimas  para grávidas, como os fatos de banho abaixo.

 

O meu preferido é o primeiro mas gosto muito dos outros também.

 

E os preços estarão especialmente simpáticos até ao fim do dia de hoje.



Clicar nas imagens para ver detalhes e preços.




Seg | 23.04.18

Há dias em que me falta a paciência

 

keep-calm-eat-cake-muffin-1534595_1280.jpg

 

Até esperava ter mais dias desses, tendo em consideração a minha personalidade ansiosa mas creio que não são tantos assim.

 

Há dias que ando mais cansada ou mais nervosa e a minha tolerância encolhe bastante. Nesses dias o tom de voz sobe rapidamente e os gestos tornam-se mais bruscos e impacientes.

 

As situações que me causam mais stress e reações mais exageradas são quando a Lara me desobedece, como quando temos que sair de um parque por exemplo, e ela se recusa. Mesmo depois de a ter avisado com antecedência que teríamos que ir embora dali a uns minutos e o porquê. Não é nada eu sei mas às vezes é o suficiente para a agarrar por um braço de forma algo brusca e falar com ela com uma expressão de que me arrependo logo.

 

Tenho perfeita consciência de que não é a atitude mais correta, de que deveria ter mais paciência e de que nada temos a ganhar com gritos ou gestos mais “antipáticos”. Mas há dias em que é difícil controlar as minhas próprias frustrações que, na maior parte das vezes, estão relacionadas apenas com cansaço ou preocupações menores.

 

Nessas alturas explico à Lara a verdade, que tenho andado mais nervosa e que não devia ter gritado com ela. Peço-lhe desculpa e dou-lhe um abraço. Sublinho que ela deve ser obediente mas que eu não devia ter gritado com ela. Ela é uma querida e diz-me logo que não está chateada. E faz uma carinha tão engraçada e crescida, de quem está bem com a situação (e com o meu pedido de desculpa) que eu sinto que tenho muito a aprender com ela.

 

Faço questão de pedir desculpa às minhas filhas quando percebo que errei. Não fico a remoer sentimentos de culpa porque vejo estas situações como oportunidades de aprendizagem para mim e para elas.

 

Aprendemos que ninguém é perfeito, nem mesmo os pais e que é bom pedir desculpa, ser humilde e mostrar que os sentimentos dos outros nos importam.

 

Não gosto de perder a paciência, principalmente com as minhas filhas. Elas merecem toda a minha paciência, amor e atenção. Mas permito-me desculpar- me a mim mesma, aprender qualquer coisa com as situações e esforçar-me por fazer melhor para a próxima.

Dom | 22.04.18

Como entreter duas miúdas pequenas numa esplanada #1

IMG_2061 (1).jpg

 

Quem diz entreter duas miúdas pequenas numa esplanada quer dizer: "deixa-las ocupadas durante o tempo suficiente para beber um café calmamente, talvez comer uma torradinha ou beber uma cervejinha fresca".

Claro que passado um tempo elas querem é mexer-se, explorar e passear por ali. E ainda bem que assim é.

De qualquer forma, andamos sempre com um "kit de entretenimento" atrás para podermos beber o tal cafezinho descansados ser ter que recorrer ao telemóvel ou ao tablet (o que, por vezes, também acontece e não tem mal nenhum se não for a regra e sim a exceção).

Desta vez levamos no kit livros de pintar com água. Temos 3 e continuamos a achar que é das melhores coisas para entreter os miúdos em saídas, em viagens, num restaurante, etc.

Serve para a Lara e para a Maria (gostam as duas da mesma forma desta atividade), não suja nada, é super prático e elas divertem-se. :D

E por aí, quais são os vossos "truques" para entreter os mais pequenos?

 

Podem encontrar livros iguais a este aqui: encurtador.com.br/aDF12

 

 

IMG_2067.jpg

IMG_2068.jpg

 

Sab | 21.04.18

Creme de abóbora e brócolos

creme de brocolos e abobora.jpg

 


Sempre que a Lara vê uma sopa à frente faz uma careta e diz que não gosta. Compreendo que seja o que as crianças de 4 anos fazem (é?) mas fico um bocadinho aborrecida com isso. E é isso mesmo que lhe explico, que faço as sopas com muito amor e carinho para nós porque são saudáveis e tento faze-las saborosas. 

Ela ficou a olhar para mim e provou a sopa. Depois começou a come-la e disse que era boa e que, antes, estava só a brincar. 

 

E comeu a sopa toda muito bem, com um ovo cozinho picado, e depois comeu uma maçã.

 

A Maria também comeu muito bem está sopa (ou creme) por isso deixo aqui a receita para poderem experimentar se acharem útil.

 

Creme de abóbora e brócolos

 

2 cebolas

1 nabo

2 ramos grandes de brócolos

1 abóbora menina

1 colher de chá de sal (opcional)

Azeite q.b

  

Colocar todos os ingredientes, com exceção do azeite, numa panela. 

Colocar água até cobrir os legumes e deixar cozer durante cerca de 30 minutos.

Depois de desligar o fogão, adicionar um pouco de azeite e desfazer em creme com a varinha mágica.

Bom apetite!

Sex | 20.04.18

Atividades com palitos

brincadeiras com palitos 5.jpg

 

Descobri está atividade num grupo de mães no Facebook e achei-a logo fantástica!

 

Acrescentei o meu toque pessoal (as caras dos bonecos, cada um com uma expressão diferente) e apresentei-a à Lara.

 

É uma atividade divertida e muito simples de fazer. E tudo o que é preciso para a atividade já existe em casa pelo que não é preciso gastar dinheiro em nada (o que é sempre um grande ponto a favor de qualquer atividade).

 

Só precisam de papel ou cartão, uma tesoura, lápis ou caneta e alguns palitos.

 

Depois é só cortar uns 10 retângulos de cartão, mais ou menos do tamanho de cartas de jogar; 10 pequenos círculos e fazer os desenhos de acordo com a vossa imaginação (podem inspirar-se nas fotos).

 

Foi um sucesso! Ela esteve muito tempo entretida e quis fazer os desenhos todos. 

 

Com agrado verifiquei que está atividade estimula várias áreas: 

 

  • A Lara esteve sempre muito concentrada a tentar encontrar a melhor forma de executar corretamente os desenhos; 

  • Treinou a paciência e a perseverança fazendo e desfazendo os desenhos até ficar satisfeita com o resultado;

  • Foi sempre contando os palitos do desenho para colocar logo perto dela os palitos de que ia precisar;

  • À medida que ia escolhendo as caras, íamos falando dos sentimentos retrata dos pelas expressões desenhadas.

 

A atividade ficará guardada num pequeno saco de plástico com fecho e irá para uma caixa com outras atividades do género.



brincadeiras com palitos  2.jpg

brincadeiras com palitos 1.jpg

brincadeiras com palitos  4.jpg

brincadeiras com palitos  3.jpg

 

 

Qua | 18.04.18

5 coisas que não me impedem de ser feliz

rawpixel-com-191152-unsplash (1).jpg

 



Isto da felicidade tem muito que se lhe diga. 

 

Para mim, mais do que uma tendência natural, tem sido uma aprendizagem e um treino mental para alterar pensamentos e comportamentos que são um entrave à felicidade e à saúde física e psicológica.

 

Ainda tenho trabalho pela frente mas existem algumas coisas que descartei completamente da minha vida tornando-a, consequentemente, muito mais simples, leve e feliz.

 

 

Eis algumas delas:

 

O que os outros pensam de mim

 

O meu grau de interesse pelo que os outros pensam de mim é igual ao meu interesse por futebol, touradas ou formigas chinesas. É, portanto, nulo.

A minha família mais chegada, amigos e pessoas que convivem comigo diariamente já me conhecem e, naturalmente, se gostam de mim é pelo que sou. Não sinto necessidade de me preocupar.

Em relação às outras pessoas também não me preocupo nada.

Faço todos os dias por ser gentil, empática e uma presença agradável porque acredito que é assim que devo ser e é assim que me sinto feliz. Tento ser sempre justa e fonte de soluções e de facilidade para os outros porque acredito que é assim que o mundo funciona melhor. Faço o melhor que sei. Por isso não me consigo preocupar com o que pensam de mim. Tenho a consciência tranquila e serena e, apesar de cometer erros como toda a gente, estou em paz com eles. 

Se as pessoas me julgarem pelo meu aspeto ou por alguma coisa que tenha dito ou feito aceito o seu ponto de vista e opinião e vivo bem com isso. 

Sendo assim, a opinião dos outros não condiciona, de forma nenhuma, a minha felicidade.

 

 

Desejos materiais

 

Tenho-os claro e não são poucos. Mas não sou obcecada por eles.

Não me caía nada mal mais uns zeros (à direita) na conta; uma casa maior, férias em destinos paradisíacos várias vezes por ano, dinheiro para fazer massagens todas as semanas, e para ir jantar fora mais vezes, entre tantas outras coisas.

Mas a verdade é que não preciso de mais do que aquilo que tenho. E valorizo muito o que tenho. Talvez seja mentalidade de pobre (ou não) mas até gosto dos meus sofás que se estão a desfazer em pedaços de pele falsa. São grandes e muito confortáveis e com uma mantinha cor de rosa a tapar os buracos na pele exterior até são bonitos. Tenho poucas coisas mas gosto de todas e todas são geradoras de felicidade.

Se desejar muito alguma coisa, faço uma poupança até a poder comprar mas é muito difícil maçar-me muito com desejos materiais.

 

 

Comparação com os outros

 

Não me comparo nada com os outros ou com as suas posses. Nem sempre foi assim mas há muitos anos que mudei de pensamento.

Gosto de mim é da minha vida tal como é e não trocava de lugar com ninguém. Quando alguém tem alguma coisa ou fez alguma viagem que eu também deseje para mim é com muito prazer que peço para me contarem todos os detalhes. Sinto uma alegria imensa em ouvir descrições de experiências que também gostava de ter, é uma espécie de antecipação daquilo que ainda espero fazer.

Fico genuinamente feliz com o sucesso das pessoas à minha volta, quero mais é pessoas felizes e bem resolvidas perto de mim. Geralmente são uma fonte de inspiração e de alegria. 

 

 

Planos Frustrados

 

Só resolvi está questão muito recentemente. Antes, alterar qualquer coisa nos planos que tinha feito deixava-me fora de mim. Agora pratico a aceitação. Aceito que nem sempre é possível controlar tudo e que, muitas vezes, as alterações aos planos originais levam-nos para um caminho muito melhor e mais acertado. Desde que pratico a aceitação que a minha vida é muito mais fácil.

 

 

Falta de gentileza alheia

 

Se antes ficava revoltada e chateado durante muito tempo quando sentia que alguém me tratava mal ou injustamente (numa loja ou num serviço que tenha necessidade de usar, por exemplo) hoje não perco um minuto sequer a pensar nisso.

Sempre que alguém é antipático comigo (o que acontece muito poucas vezes ou sou eu que sou distraída e não noto) eu penso que não é nada pessoal e que a pessoa está a ter um mau dia. Não fico nada chateada e ajo com a pessoa com gentileza ou indiferença (conforme o meu humor e paciência na altura). 

Depois passa e eu não me preocupei nada desnecessariamente.

Ter | 17.04.18

Finalmente fizemos um churrasco este ano!

O Milton anda há meses desesperado por um churrasco.

 

Pessoalmente, prefiro piqueniques: dão menos trabalho (se bem que os homens é que fazem tudo), provocam menos cheiros e é tudo mais simples.E, por um motivo ou outro, geralmente por o tempo não estar grande coisa, temos adiado o tal churrasco há bastante tempo.

 

Até que, neste domingo, surgiu a oportunidade perfeita.

 

Combinámos com uns amigos e, apesar do tempo parecer duvidoso, decidimos por-nos a caminho da Caloura, armados de carnes e carvão.

 

O ambiente e o sítio eram fantásticos: várias famílias com crianças estavam a fazer os seus churrascos, existiam mesas livres, casas de banho com boas condições e um bom bocado de relva para os miúdos se entreterem.

 

Comemos bem, colocámos a conversação em dia, os miúdos brincaram bastante, a Lara deu umas cambalhotas na relva quando ela e o pai me apanharam mais distraída, eu estive bastante bem e nada cansada (apesar das dores de costas e de me mover como uma baleia com varizes) para o que muito contribuiu os nossos amigos olharem pela Lara e pelo filhote deles (que também é pequeno) grande parte do tempo. Ao fim da tarde, a Lara já não queria nada com os pais e chamava papá e mamã aos nossos amigos. Chegou a ter o desaforo de olhar para o Milton e perguntar pelo "papá".

 

Foi, portanto, uma tarde fantástica!São Miguel tem locais maravilhosos para fazer piqueniques e churrascos, a maior parte deles com condições excelentes e uma vista fantástica! Estes locais existem em praticamente toda a ilha e, basta que não esteja a chover nem vento, para passarmos uma tarde magnífica com amigos ou família.

 

Deixo-vos algumas ilustrações:

 

mesa

O nosso spot.

 

caloura 10

A nossa carninha que estava mesmo boa, preparada por quem sabe (não foi o Milton). Levámos batata doce que assámos na brasa e ficou bastante boa.

 

bolo de morango Os nossos amigos levaram este bolo fofíssimo de morango, todo cor de rosa. É um bolo instantâneo que se vende na loja americana e é delicioso. Comi duas fatias.

 

bolo de aniversario Dentro do que é o verdadeiro espírito de churrasco, uma família que estava perto de nós estava a comemorar o aniversário de uma senhora e veio trazer-nos champanhe e este bolinho com kit kat e cobertura de caramelo. Que simpatia! :D

 

caloura 5 A Lara a passear de bolacha na mão.

 

brincadeira de criancas As crianças divertiram-se bastante tempo a passar a água e o gelo do alguidar com as cervejas para um baldinho de praia de um menino que esteve a brincar com eles.

 

brincar Sim, tive a excelente ideia de andar a gatinhar na relva com a Lara e fiquei com o rabo todo molhado da relva. A Lara não parava de correr, trepar a tudo e dar cambalhotas na relva. Com tudo isso, só bateu com a testa num banco ao tropeçar nuns sacos. Felizmente ficou apenas com uns arranhões na testa.

 

caloura 3

 

caloura 7777

Lara a apreciar a vista, enquanto petisca uma bolacha.

Ter | 17.04.18

E quando os miúdos de 4 anos acordam a meio da noite aos gritos?!

 

girl-899983_1280.jpg

 

Penso que será uma situação mais ou menos comum que acontece a todas as crianças uma vez ou outra. 

Pelo que vejo nos testemunhos de outras mães, os motivos também podem ser variadíssimos: pesadelos, dores, terrores noturnos, ansiedade, chamadas de atenção e até efeitos secundários de alguns medicamentos.

Vou falar da minha experiência, do que acontece cá em casa e da forma como estamos a resolver a questão, mas reforço que cada situação tem as suas particularidades e estas coisas não se devem generalizar. Em certos casos (principalmente nos de repetição) procurar a opinião e ajuda de um pediatra é sempre algo a a fazer.

Então vamos ao que se tem passado por aqui:

Há umas noites atrás a Lara acordou a meio da noite a chorar e a gritar. Começou por dizer que lhe doía um ouvido e continuou muito nervosa, a gritar e a chorar cada vez mais durante imenso tempo, muito mais de 15 minutos garantidamente. Nós tentámos ajudar como podíamos, falando com ela e tentando abraça-la e acalma-la mas nada resultava. Por fim, só nos restava ficar ali a esperar que passasse por si.

Entretanto demos-lhe remédio para as dores (xarope) e colocámos desenhos animados. Ainda fizemos um lanchinho de bolachas e chá com mel logo que a Lara se acalmou (isto pelas 3h00 da manhã). Entre a Lara ter acordado e voltado a dormir passaram-se umas duas horas. 

Não era a primeira vez que a Lara acordava a meio da noite a chorar. Já tinha acontecido antes e a queixa começava por ser dores de ouvidos. Entretanto ela vai dizendo que tem dores noutros sítios e começa a chorar por tudo e mais alguma coisa, desde o tapete não estar onde ela quer, ter um cabelo na cara ou não encontrar determinado boneco. Também começa a dizer que tem um bichinho no ouvido ou que tem medo de bichos ou que tem medo de fazer chichi na cama e grita imenso por causa disso. 

Desta vez a diferença foi no tempo que levou a acalmar-se e no estado de nervos em que se encontrava. Ela só gritava e chorava imenso sem a conseguirmos consolar de forma nenhuma. Já estávamos nós também a ficar nervosos, para além de muito cansados. Ainda por cima com a Maria no quarto a acordar de tempos a tempos com tanto barulho.

No dia seguinte, para além de ter comentado em grupos de mães esta situação, na esperança de ter o testemunho e alguma dica de alguém que tivesse passado por algo semelhante, eu e o Milton começámos a pensar em possíveis causas e soluções para este "acordar agitado a maio da noite".

Factos:

- Já não é a primeira vez que a Lara se queixa do ouvido, mesmo não estando com nenhuma constipação ou doente neste momento;

- Apesar de se queixar do ouvido, todo o choro e estado nervoso que vem a seguir parece-nos mais causado por stress do que dores, até porque de um momento para o outro parece que a dor desaparece;

- A Lara tem demonstrado mais ciúmes da irmã nos últimos tempos, pedindo para comer papas, para a ajudarmos a comer, etc.

- Há alguns dias que passou a usar novamente fralda de noite, depois de alguns episódios repetidos de chichi na cama;

- Eu tenho andado mais ansiosa ultimamente e com menos paciência o que resulta em mais ralhetes para a Lara, algumas situações de gritos e reações exageradas.

- Temos pressionado muito a Lara para comer mais depressa e não brincar à mesa (ela pode levar uma hora inteira a tomar o pequeno-almoço ou o jantar).

- Para a convencermos a lavar os dentes e as mãos falamos dos bichinhos invisíveis que causam doenças o que, na cabecinha dela, pode ter proporções e dimensões que não previmos;


A Lara é uma menina muito sensível e reage bastante a tudo o que se passa à sua volta. É muito carinhosa e espera o mesmo de nós por isso a forma como interagimos com ela e como falamos com ela tem muita relevância para a sua disposição.

Creio que em parte, o que aconteceu pode ter sido causado por nós, por andarmos mais nervosos (principalmente eu) e ter, sem querer, passado isso para ela.


O que resolvemos fazer:



- Em primeiro lugar, e já depois dos primeiros episódios de dores a meio da noite, procuramos um médico otorrino. Creio que o mais importante é descartar qualquer possibilidade de qualquer questão física que possa efetivamente estar a causar os incómodos e dores. A Lara, de facto, tem otite serosa o que pode justificar dores ou incómodos no ouvido de noite. Estamos a fazer um tratamento de um mês e vamos reavaliar no médico depois do tratamento.

- Como o episódio mais recente (e as chamadas de atenção que temos notado) não nos parecem ter justificação apenas com a otite serosa, resolvemos alterar algumas coisas nos nossos comportamentos. Passámos a evitar ao máximo pressionar a Lara a toda a hora e não gritamos. Não é que gritássemos antes - pelo menos não era algo frequente - mas agora controlamos-nos ainda mais.

- Quando a Lara demora mais a comer, optamos por a ajudar e dar a comida à boca. Foi uma decisão pensada e que nos parece melhor do que dar-lhe castigos ou insistir com ela de 2 em 2 minutos para se despachar. Isso já nos estava a stressar demais (a nós e a ela).

- Continuamos a ter regras e limites bem definidos. Não gritamos nem pressionamos demais mas as regras continuam as mesmas e são cumpridas da mesma forma. Se a Lara não quer comer o jantar, não come mais nada. Se atira brinquedos ao chão repetidamente, avisamos duas vezes e depois retiramos-lhe o brinquedo. Desenhos animados são apenas nos dias estipulados (nada de desenhos animados a maio da noite como chegámos a colocar). Tem corrido bem. Ela reclama um bocadinho com as consequências mas depois percebe e aceita, até porque explicamos sempre.

- O carinho e a atenção que lhe damos (e à Maria) é a mesma: brincamos com elas todos os dias e damos muito mimo. Digo-lhe todos os dias o quanto gosto dela e o quanto é importante para nós. Isso não mudou porque já era uma constante.

- Faço um esforço consciente para andar calma e mostrar-me sempre calma ao pé das minhas filhas. 

- Passámos a controlar bastante o que dizemos ao pé da Lara (antes não o fazíamos). Não falamos de bichinhos ou micróbios, e não dizemos nada que achemos que a possa assustar ou que ela não consiga compreender muito bem.

- Também temos mais atenção às histórias que lhe contamos antes de dormir. Algumas, apesar de supostamente serem para a sua idade, têm conteúdos capazes de a assustar e causar pesadelos. Nada de seres pouco simpáticos ou personagens com grandes medos.

- Tento encontrar sempre atividades diferentes para fazermos em casa e coisas que possam entreter a Lara e a Maria ao mesmo tempo. Também as deixo procurarem as suas próprias formas de se entreterem sem intervir muito. Julgo que dar-lhes liberdade para fazerem o que lhes apetece (dentro dos limites e regras estabelecidos também é bom para a independência e auto estima delas.



Como estão as coisas:

Bom, desde que aplicámos o que descrevi acima cá em casa (o que foi logo no dia a seguir ao episódio de gritos a meio da noite) que as coisas mudaram imenso.

Pode até ser coincidência mas estou inclinada para acreditar que não.

A Lara não só não voltou a acordar a meio da noite como nunca mais fez chichi na cama (apesar de termos decidido manter a fralda de noite). 

Continua a comer devagar mas sem dramas e sem chatices de maior. Também faço por lhe dar sempre várias opções de pequeno almoço e de jantar (dentro do que é saudável e temos disponível) para ver se a motivo mais a comer sozinha.

Estou mesmo muito satisfeita com os desenvolvimentos desta situação. Sinto-me um pouco mal por perceber que posso ter provocado estes episódios na minha filha mas nisto da maternidade estamos sempre a aprender e atentar fazer melhor a cada dia. Hoje sei mais do que sabia ontem e tenho, certamente, mais condições para ser uma mãe melhor e mais atenta.

Vou continuar a errar sem dúvida nenhuma. E vou continuar a tentar aprender com cada erro a ser uma mãe melhor e mais segura. 

 

Seg | 16.04.18

Como eu vejo as minhas filhas

Lara e Maria 7.jpg

 

Dizem que a Lara é parecida comigo e que a Maria é parecida com o pai. Às vezes parece-me que é assim, outras vezes nem por isso.

Vejo muitas coisas minhas na Lara, coisas de que gosto em mim e coisas de que não gosto em mim (sempre em mim). Nela tudo me parece perfeito, mesmo aquilo que, em mim, me faz muita confusão. Nela tudo é bonito, gracioso, especial. Na Maria também.

Olho para elas e só vejo perfeição. Tenho a certeza que todas as mães são assim.

A Maria manda-se para o chão a fazer birra e eu vejo uma performance maravilhosa e uns bons pulmões; a Lara passa as refeições a brincar e a fazer malabarismos na cadeira - e eu sempre a ralhar com ela de cara séria - enquanto penso que a infância é maravilhosa e é tão bom que ela seja alegre e cheia de energia.

Elas brigam pelos brinquedos e eu adoro-as à duas, mesmo que brigue com uma ou com outra.

A Maria pergunta pela Lara quando a vamos buscar à vacina e eu fico comovida por ela sentir a falta da irmã.

A Lara enche-me de beijos e abraços e demora horas a comer.

A Maria ignora-me quando a vou buscar à creche (chega a correr na direção oposta) mas come sozinha, rapidamente, nunca começa sem ter babete e as mangas subidas para não se sujar e é muito independente.

Para mim, são perfeitas as duas, mesmo com as birras, as noites mal dormidas e o cansaço extremo.

Ainda me espanto todos os dias com o facto de serem minhas filhas.

 

Dom | 15.04.18

Sobre as coisas parvas que eu faço

The Good Wife.jpg

 

Cá em casa a série do momento é The Good Wife.

É uma série de qualidade, com um guião mesmo muito competente e personagens deliciosas (não as principais mas muitas das secundárias).

Um destes dias achei que caía muito bem acompanhar o almoço com a leitura de alguns textos de opinião sobre a série. E assim fui lendo uns blogues em que se falava da série e das suas várias peculiaridades.

E, em menos de nada, encontrei meia dúzia de spoilers e fiquei a saber uma data de coisas sobre os episódios futuros que dispensava bem.

Muito bem Carla! Excelente opção de leitura (só que não).

 

Sab | 14.04.18

Tag: 16 perguntas sobre maquilhagem

cosmetics-2611803_1280.png

Maquilho-me muito pouco e de uma forma muito simples mas admito que faz diferença sair de casa com um pouco de maquilhagem. Sempre que saio de casa maquilhada (sempre de forma a que se note pouco que tenho algo na cara) as pessoas dizem que estou com bom ar e com alguma frescura. :D

Por isso, sempre que tenho paciência, aplico um bb  cream e uma máscara de pestanas e sei que saio de casa com um ar bem mais apresentável.

Por isso acho pertinente responder a uma Tag sobre maquilhagem. Claro que não sou especialista nenhuma mas sou uma feliz utilizadora da dita cuja. :)

 

1 . Tens 2 minutos para sair de casa… Qual o único produto que passas no rosto?
      BB cream, sem duvida.


2 . Qual o teu tipo de pele?
     
Oleosa.

 

3.  Costumas ir ao dermatologista com frequência? Fazes algum tratamento?
 
   Sim, vou ao dermatologista com alguma regularidade mas não faço nenhum tratamento especial. Aos 16 anos, fiz um tratamento para o acne.


4.  Qual o teu hidratante facial favorito? Porquê?
   
 Creme hidratante da Avéne. Gosto muito dos produtos da Avéne porque deixam a minha pele hidratada e, ao mesmo tempo, são muito suaves, apropriados para peles muito sensíveis.


5 .  Já tiveste problemas com acne?
     
Sim, na adolescência.


6.  Algum produto de maquilhagem te causou acne ou alergia?
     
Batons. Quase todos me secam os lábios e, no próprio dia em que os uso, começo a ter peles soltas e pequenas feridas nos lábios. Quase só consigo usar batons para o cieiro. Guardo os outros batons para ocasiões especiais.


7. Preferes base ou corretor?
   
Corretor. Não gosto de usar base, acho que se nota demasiado e fico com um ar artificial.

8. Preferes blush ou bronzer?
   
Dispenso qualquer um dos dois. Como não me sei maquilhar bem, opto por não usar coisas que se possam notar demasiado. Possivelmente sairia de casa como se fosse para uma festa de halloween.


9 . Qual a tua marca preferida de batom? Porquê?
     
Não tenho marca preferida mas a minha sogra oferece-me uns de que gosto muito, mas não me lembro a marca.

10. Pestanas alongadas ou volumosas?
     
Volumosas.


11. Duas marcas preferidas de maquilhagem:
   
  Gosto de boas marcas mas não tenho uma preferência clara. neste momento tenho produtos Vichy e Guerlain.

 

12. Preferes comprar maquilhagem em lojas físicas ou online?
     
Compro nas duas. É-me indiferente.

 

13. Já usaste ou usas receitas caseiras para a pele?
     
Já usei mas não fiquei propriamente eufórica com os resultados por isso não voltei a aventurar-me por esses lados.

 

14. Costumas dormir maquilhada?
     
Não. Geralmente tiro a maquilhagem e lavo a cara logo que chego a casa.


15. O que aconselhas que se compre para quem quer começar a usar maquilhagem?
   
  BB cream, máscara de pestanas e lápis de olhos.


16. Qual o produto que desejas muito comprar mas não o fazes por ser muito caro?
 
    Não me estou a lembrar de nenhum. Se existisse algum faria umas poupanças para o comprar assim que pudesse.

 

Pág. 1/2