Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Dom | 30.10.16

Como manter a sala sempre arrumada numa casa com crianças

Tenho a paranóia de ter a sala minimamente arrumada.Digo minimamente porque, a bem da verdade, não posso dizer que tenha a sala sempre impecável, até porque não temos escritório e os computadores estão, invariavelmente sempre em cima da mesa da sala. Mas tudo o resto-  chão, sofás, móveis- tento mater sempre arrumadinho.

 

Com uma criança de 2 anos em casa seria complicado ter a sala sempre arrumada mas, por acaso, não me posso queixar.

 

A maior parte dos brinquedos está no quarto da Lara mas nós passamos muito tempo na sala e é natural ter alguns brinquedos por lá espalhados. E temos. Mas de uma forma muito controlada.

 

Arranjei um baú que fica encostado à parede, muito arrumadinho, onde coloco alguns brinquedos da Lara, que troco com frequência. Quando ela chega da escola dirige-se lá para ver o que está lá dessa vez.

 

Ela tira aquilo com que quer brincar e leva para o tapete para brincar sozinha ou connosco.Quando acaba de brincar, arruma tudo e volta a colocar no baú. Simples assim.

 

Claro que se ela quiser outro brinquedo qualquer vai buscar ao quarto sem problema nenhum e pode acrescentá-lo ao baú mas o princípio é ter poucos brinquedos disponíveis (para não se dispersar) e deixá-los sempre organizados e arrumados.

 

Tem funcionado lindamente.

 

Agora tenho é que arranjar um baú mais bonitinho que o que tenho agora é extremamente piroso.

 

brincar-na-sala-4

Olha o baú da Lara ao lado do puf.

 

brincar-na-sala

 

O que tenho tido, nestes dias,  dentro do Baú

brincar-na-sala-3

 

brincar-na-sala-2

 

brincar-na-sala-1

Sab | 29.10.16

Da Biblioteca #6 Que livros trazer para 2 anos?

Continuo a ir quase todas as semanas à biblioteca buscar livros para a Lara mas é cada vez mais complicado decidir o que trazer.Estou naquela fase em que metade dos livros me parecem demasiado simples para a Lara e a outra metade demasiado complexa, com muitas letras e histórias muito longas.Ainda assim continuo a trazer livros, fico é muito mais tempo a escolhe-los.

Na semana passada trouxemos estes livros:Vira e combina na selva

É um livro que também é um jogo onde é preciso juntar as duas partes certas dos animais.Fala um bocadinho sobre cada animal e os desenhos também são engraçados.É divertido e didático q.b.biblioteca-7-5biblioteca-7-8biblioteca-7-7

A Princesa Lara e o sapo e A Princesa Lara e o Papagaio

Adoro estes! :DPara além do nome, esta princesinha trapalhona e aventureira tem mais coisas em comum com a Lara.As imagens são muito giras e a Lara adora ver o livro sozinha, depois de já conhecer a história.biblioteca-7-3Trouxe este porque achei piada à particularidade de ter uma história para cada dia de outono.As histórias são curtinhas e engraçadas e estou a contá-las à Lara antes de dormir. Foi uma boa aposta.biblioteca-7-2 

O meu livro das Refeições

Gosto de trazer sempre um livro mais educativo e, esta semana, calhou este.Uma vez que o momento do jantar tem sido um dos mais "complicadinhos" cá em casa, pode ser que o livro ajude. :Pbiblioteca-7-9biblioteca-7-1
Qui | 27.10.16

Tag : Se eu perguntasse

se-eu-te-perguntasseOra se há coisa que eu gosto de fazer de vez em quando é responder a "Tags".Sinto um prazer infantil a responder a estes questionários. :DAcho divertido e é uma forma de me conhecerem um bocadinho mais. De uma forma caricata, é certo, mas ainda assim válida. Digo eu.Vamos a isto.

1- Tens alguma mania? Qual?

Ui. Tenho muitas. Acho mesmo que sofro de transtorno obsessivo compulsivo. Tenho a mania de fechar completamente as portas do roupeiro antes de dormir, de ter sempre pensamentos positivos quando me estou a vestir, de bater na madeira quando penso em coisas negativas (estou a lutar contra os dois últimos) e de só me sentar no sofá para ler se a sala estiver toda arrumada. E estas são só algumas.

2- Você cumprimenta estranhos na rua?

Às vezes sim.Em Alpiarça, onde cresci, era costume toda a gente dizer "Bom Dia" a toda a gente quando se cruzava. Provavelmente eu ainda fazia isso em Lisboa nos primeiros tempos em que fui viver para lá mas as pessoas deviam olhar para mim como se eu fosse retardada e perdi completamente o hábito.Agora, se me cumprimentam sem me conhecerem, fico muito surpreendida e só respondo quando a pessoa já está tão longe que não me consegue ouvir.

3- Quem faz os serviços domésticos na tua casa?

Todos os que nela habitam, menos o bebé e o gato. Quem é que havia de ser?

4- Achas que às vezes acabas por comprar produtos sem necessidade?

Às vezes sim. Muito poucas vezes.

5- Fumas?

Não.

6- Quantas pessoas moram na mesma casa que tu?

Quatro.

7- Tens medo de envelhecer?

Não.

8- Usas maquiagem fora de validade?

Uso pois. Nem queiram saber quão fora da validade. É chocante! :)A cara só não me caiu porque uso mesmo muito poucas vezes. Por isso é que dura tanto.

9- Qual a tua prioridade na vida?

A felicidade. Minha e da minha família.

10- Deitas lixo na rua?

Não.

11- Estás a ler algum livro? Qual?

Sim. "A Contadora de Histórias" de Jodi Picoult.

12- Com que frequência arranjas as unhas?

Uma vez de dois em dois meses. Se tanto.

13- Usas hidratante para o rosto? Qual?

Sim, o mais básico de todos, da Avéne.

14- Quais os itens de maquiagem que usas no dia a dia?

BB cream e máscara de pestanas.

15- Qual câmera que usas para gravar os teus vídeos?

Quais vídeos? Os caseiros são gravados com o iPhone.

16- Qual o teu cheiro agora?

O meu mesmo. A pele? Lavadinha.

17- Achas que os produtos caros são sempre os melhores?

Não sempre mas muitas vezes.

18- Ao sair de um supermercado percebes que o funcionário te deu dinheiro a mais no troco. Voltas e devolves o dinheiro?

Sim.Não posso jurar que nunca tenha acontecido o contrário, quando era miúda mas entretanto cresci.Já devolvi muitas coisas que encontrei tendo inclusive que procurar o dono como no caso de uma carteira que encontrei num centro comercial.Por princípio ético faço aos outros o que gostaria que me fizessem a mim. 

19- No autocarro dás o teu lugar aos idosos?

Sim.

20- És uma pessoa sociável?

Tenho dias. Se estiver muito bem disposta consigo ser muito sociável.

21- O teu telemóvel está sempre com crédito?

Sim.

22- Caso fosses fazer uma cirurgia plástica, o que  mudarias?

Mamas.

23- A tua melhor amiga está a ser traída pelo marido ou namorado. Contarias caso soubesses?

Sim. Faria como gostava que fizessem comigo.Provavelmente não dizia que estava a ser traída. Dizia o que eu sabia. A não ser que soubesse com toda a certeza que ela preferia não saber.

24- Cometes algum dos pecados capitais? Qual?

A gula. Sem dúvida.Estou a trabalhar nisso.

25- És feliz?

Sim.

26- És uma pessoa vingativa?

Nada.

27- Já te sentiste evitada por uma ou mais pessoas em algum momento da vida?

Acho que não... mas nunca se sabe.

28- Acreditas que as pessoas mudam?

Não muito. Mas acho que crescem.

29- Gostas de ser visitada com frequência?

Gosto pois.

30- Existem pessoas que dizem que os blogues são coisa de gente que não tem o que fazer. O que achas disso?

Discordo totalmente.São coisa de todo o tipo de gente. E de muito boa gente também.
Qua | 26.10.16

Finalmente tive a noite que me tem sido prometida...

sono

 

E não gostei lá muito. Mas também não fiquei muito aborrecida. Fiquei mais surpreendida que outra coisa.Pela primeira vez, aconteceu o que muitos já tinham previsto.

 

Relato de uma noite especial

 

Deitámos as miúdas à hora do costume, pelas 21h00.

 

Ainda fomos cozinhar o almoço dos próximos dias e, pelas 23h10, estávamos no sofá prontos para ver mais um episódio de "Narcos".

 

Como sempre, desmaiei de sono 20 minutos depois, a meio da série.

 

Fui dormir e o Milton ainda ficou na sala mais uns 15 minutos (ainda tinhamos batatas doces a assar no forno).

 

Ainda o Milton não tinha ido para o quarto, já a Lara estava a choramingar no quarto dizendo que lhe doía a boca (depois acabou por explicar que era a língua, embora não tenhamos encontrado nada de especial na língua).

 

E assim continuou pela noite fora: a acordar vezes sem conta a chorar e a dizer que lhe doía a boca. Depois bebia água na cozinha e voltava a dormir tranquilamente... até à próxima hora.

 

Para aconchegar ainda mais o nosso descanso, quando nos deitávamos depois da Lara já estar a dormir tranquilamente, começava a Maria a chorar. E assim sucessivamente: uma calava-se, começava logo a outra. :D

 

Demorou quase quatro meses, mas aconteceu. Uma noite em que nem uma hora seguida devemos ter dormido. A previsão de muitas pessoas para pais que têm filhos com uma diferença de idade pequena. :DJá estávamos a ficar tão mal habituados que nem sequer ficámos aborrecidos, apenas surpresos com esta situação.

 

De manhã a Lara continuava mimosa, depois de ter passado a noite a acordar também não deve ter dormido muito bem, mas comeu a papa toda e foi para a creche bem disposta.

 

Entretanto espero que não seja um sistema para durar. Não é muito bom para a pele. :D

Seg | 24.10.16

Maria #7 Quase 4 meses depois, já gosta de chucha

chucha-7

 

Ao contrário da Lara que já usava chucha na maternidade, a Maria nunca quis chucha.Nós dávamos e ela cuspia para fora. Sempre. Durante mais de 3 meses.Não é que insistíssemos muito. Tentávamos dar-lhe uma, duas, três vezes... Ela não queria e nós não insistíamos mais. Ao fim de algum tempo, deixei de insistir de todo e mentalizei-me de que ela não iria usar chucha e pronto. Não havia grande problema com isso.

 

Até que a Maria começou a chuchar no dedo. Chuchava no dedo para adormecer. Também não via grande problema com isso e até achava fofinho. Mas depois lembraram-me que seria mais difícil largar este hábito do que largar a chucha. O dedo estava li sempre disponível.Confesso que não me senti muito alarmada e não foi por isso que insisti na chucha.

 

O que aconteceu foi que, por volta dos 3 meses, a Maria começou a fazer um grande "xinfrim" de cada vez que tinha sono. Chorava, chorava, chorava. Eu colocava na mama, embalava, colocava-a no tapete de atividades, no carrinho... e ela chorava e chorava e gritava até que adormecia.

 

Um desses dias lembrei-me de tentar dar-lhe a chucha novamente. Não funcionou logo mas vi que já pegava nela mais tempo. Fui começando a oferecer-lhe a chucha quando ela chorava com sono. Umas vezes funcionava, outras não mas ela ia ficando cada vez mais tempo com a chucha.

 

Até que, de um dia para o outro, passou a dormir sempre com a chucha. Foi uma questão de poucos dias desde que comecei a oferecer-lhe novamente a chucha.De modo que, perto dos 4 meses, a Maria aceitou a chucha e nós estamos muito contentes com isso. É a melhor forma de acalmar a Maria quando quer dormir o que nos poupa (a nós e a ela) muitos minutos de stress.Para já usa-a só para dormir mas já a levamos para todo o lado.

 

Ainda bem que guardei as chuchas dela. :D

Seg | 24.10.16

Educar um ser humano

educaca%cc%83o

 

Mesmo antes de saber que queria ser mãe, imaginava que devia ser maravilhoso educar um ser humano. Não sei se era movida por uma vontade de poder, um ímpeto pelo controlo das mentes alheias como forma de tentar mudar o mundo, ou outra coisa qualquer, mas o facto é que tinha uma visão muito romântica da ideia de educar filhos.Imaginava-me (e ainda imagino) a falar-lhes de grandes filósofos e a ensinar-lhes a ter um pensamento crítico e sempre de acordo com as suas próprias consciências.Não queria filhos exatamente como eu. Queria que fossem melhores, muito melhores.

 

E depois, eis que tenho duas filhas e eis que percebo que educar uma criança é muito mais difícil e complexo do que eu poderia imaginar. E bastante melhor. Incomensuravelmente melhor.

 

Aprendi que a mente das minhas filhas é muito mais complexa do que uma plasticina que eu possa moldar como achar melhor. Elas são únicas e serão sempre aquilo que quiserem ser, não o que eu queria ser ou o que eu queira que elas sejam. Aliás, o meu amor por elas não me deixa querer que elas sejam nada de diferente da vontade de cada uma. Contando que não prejudiquem ninguém (nem a elas próprias) terão o meu apoio sempre para fazerem aquilo de que gostarem mais.

Educar, essa coisa complexa

Aprendi também que, antes de querer educar as minhas filhas, tenho que me educar a mim própria, no sentido de ser o exemplo dos valores que gostaria que elas tivessem. Não há outra forma de fazer as coisas. Aqui não serve a máxima: "Faz o que eu digo e não o que eu faço." Se quero que sejam melhores que eu, tenho que ser melhor primeiro.Isto para dizer que, quando me tornei mãe tornei-me numa pessoa cheia de responsabilidades, acima de tudo, em relação a mim mesma. Senti necessidade de ser melhor comigo, de tratar mais de mim.

 

Passei a comer melhor, a fazer exercício com regularidade e a tratar da mente com muito mais cuidado. Comecei a tentar limar aquelas coisas com as quais estava descontente mas sem grandes preocupações. Comecei a querer ser o melhor exemplo para as minhas filhas. Quis ensinar-lhes como se faziam as coisas mas, na verdade, tive que reaprender a fazê-las primeiro.

 

O resultado tem sido ter muito menos de muitas coisas.Tenho o roupeiro mais vazio, a cozinha mais vazia de doces, tenho a estante com menos livros, a mente com menos disparates, tento falar menos (isso é o mais difícil) e, sobretudo, tento falar melhor. Até os meus pensamentos têm de ser mais controlados, para serem ocupados com menos "palha" e mais coisas bonitas, interessantes e construtivas.

 

Com isso não quero dizer que me transforme numa pessoa diferente do que era, ou que faça coisas completamente contrárias ao que sou. Nada disso.O que faço é ser mais convicta nas coisas que já sei que são melhores mas, antes, não tinha genica para realizar. Devo isso, entre muitas outras coisas, às minhas filhas.

Sex | 21.10.16

Lara #10 A princesa e o cocó

princesa-sofiaPai e filha brincam serenamente no tapete da sala.Fazem uma torre de cubos, daqueles tipo puzzle que formam uma imagem. Estes são da Princesa Sofia.Torre feita com a cabeça da Princesa Sofia no último cubo.Pai Milton acha que é a altura ideal para contar uma mini história. Ah e tal, a princesa está no cimo da torre à espera do princípe que a virá salvar.Lara faz o que mais gosta de fazer após as torres estarem completas. Deita-a abaixo.Pai faz nova torre. Novamente a cabeça da Princesa Sofia a encimar os cubos sobrepostos.Pai decide avaliar a memória da filha.Pai: "Então Lara, tinhamos visto que a Princesa Sofia está no cimo da torre à espera do prín-ci... "Lara: "cocó"A princesa Sofia afinal está à espera do cocó.Olha filha, a prisão de ventre calha a todas....
Qui | 20.10.16

Maria #6 O primeiro livro aos 3 meses?!

maria-a-lerAos 3 meses e meio a Maria está numa fase engraçada que tem coisas boas e outras menos boas.Uma das grandes diferenças que encontro entre a Maria e a Lara é o facto de me surpreender todos os dias com as coisas que a Maria faz.Quando estava com a Lara em casa, nos primeiros meses, estava sempre à espera de algo diferente todos os dias. Lembro-me de ter todo o tempo do mundo para a ver crescer e estar ansiosa para que fixasse os olhos num objeto, para que sorrisse, para que começasse a mexer as mãos a tentar pegar em coisas, para que desse gargalhadas sonoras...Com a Maria não é assim. Simplesmente quando dou por isso ela já está a dar gargalhadas, a tentar pegar em coisas e a olhar para os livros da irmã com toda a atenção. E o que penso é:"Já!!!!"Provavelmente está a fazer as mesmas coisas que a irmã fazia com a idade dela mas não consigo deixar de me surpreender pela forma como a Maria está a crescer depressa. Eu estou com ela o dia todo e, felizmente, tenho tempo e disponibilidade para a ver crescer mas, mesmo assim, não consigo deixar de me surpreender.Uma das coisas menos interessantes desta fase é o facto da Maria chorar imenso antes de adormecer. Está assim há semanas.Há quem tenha mau acordar. A Maria é rabugenta a adormecer.. :D Já de manhã está sempre satisfeitíssima, toda sorridente e enérgica.Faço "trinta por uma linha" para ver se a miúda acalma: dou de mamar, pego ao colo de várias maneiras diferentes, ando com o carrinho pela casa, coloco o Baby Einstein na TV, panos de cozinha presos ao carro, volto a tentar dar-lhe a chucha... sei lá o que mais. Eventualmente uma destas coisas acaba por resultar.

Ler aos 3 meses

Uma das última opções tem sido prender um livro, com molas, à alcofa ou deixá-lo aberto junto ao tapete de atividades. Ela adora! Fica ali a olhar e a sorrir para a s imagens com um ar todo interessado.Esta ainda é mais precoce que a irmã nas leituras. :D Começa com 3 meses e meio a devorar livros!Estou a ver que tenho que fazer mais um cartão da biblioteca e tenho que começar a ir buscar livros de carrinho de mão. A mochila já nem chega para os meus, do pai e da Lara. :DNota importante: A Maria já mexe muito as mãos e pode desprender o livro da alcofa facilmente por isso nunca a deixo sozinha com o livro. Prendo-o com as molas para ela ver melhor mas fico mesmo ao lado para não o deixar cair.
Seg | 17.10.16

Dicas essenciais de decoração para quartos de crianças

quarto LaraHoje em dia, existem imensas coisas giras para decorar os quartos das crianças, o que não acontecia há algumas décadas. Por um lado, esta grande variedade de materiais, de padrões, de cores e de acessórios pode facilitar imenso a vida àqueles pais que têm uma ideia bem concreta do que pretendem e até gostam de arriscar no que é mais arrojado, mas pode também dificultar, e muito, a escolha àqueles que são mais indecisos e ainda não sabem bem o que querem.No meu caso, confesso que tive que pesquisar imenso até perceber mais ou menos o que queria fazer no quarto das miúdas. Na altura do nascimento da Lara, já tinha imensas ideias a fervilhar na minha cabeça, imensas hipóteses de cores, de brinquedos e até de mobiliário. E como tive outra menina na minha segunda gravidez, não precisei de novas mudanças.

Porém, como sei que esta tarefa ainda é um bicho-de-sete-cabeças para muitos pais, aqui ficam umas dicas que podem ajudar a simplificá-la:

• Começarem uma decoração sabendo muito bem o orçamento disponível é meio caminho andado para que a mesma se conclua com sucesso;• Quem gosta de jogar pelo seguro, pode sempre fazê-lo, sem qualquer problema. O azul continua a ser o preferido para um quarto masculino e o cor-de-rosa para um quarto feminino. No entanto, se quiserem seguir este caminho, conjuguem estas cores com outros tons, para não se cansarem futuramente;• Se querem uma escolha simples, mas, ao mesmo tempo, arrojada, nada melhor do que a adopção de um tema para toda a decoração. Actualmente, existem imensos temas no mercado que fazem a delícia das crianças: fadas, princesas, personagens da Disney, heróis da Marvel, legos, Super Mário… é só uma questão de adequá-los ao género das crianças;• Há ainda temas menos específicos que ficam lindamente num quarto infantil, como, por exemplo, os planetas, os piratas, os animais, as flores, etc.;• Se as condições financeiras não vos permitem grandes aventuras, por que não apostarem numa decoração mais low cost, através de colagens, pinturas de quadros, acessórios feitos à mão ou em brinquedos personalizados? Mesmo que o jeito não seja muito, o que conta é a intenção;• Por vezes, a escolha de novas pinturas interiores, através de um papel de parede com um determinado tema ou com padrões mais coloridos, é o suficiente para que o quarto se transforme num espaço fantástico;• A escolha dos materiais deve ser ponderada e bem informada, e devem também ter em conta a possibilidade de um dia substituírem toda a decoração, pois as crianças, mais cedo ou mais tarde, começam a opinar e a querer mudar todo o visual do quarto;• Independentemente da escolha das cores e dos materiais, a decoração de um quarto de crianças deve transmitir alegria, divertimento e, ao mesmo tempo, tranquilidade. E, caso a carteira permita, deve transmitir irrealidade, sonhos e fantasia, tal como a vida de uma criança deve ser nos primeiros anos!Eu adorei criar o quarto para a Lara e já estou muito entusiasmada para o fazer novamente, desta vez para duas princesas! 
Dom | 16.10.16

Acho um grande atraso de vida

Pensar demasiado na opinião que os outros possam ter de nós.

Não digo que ignoremos completamente os outros e andemos por aí a dizer às pessoas tudo o que pensamos delas, sem filtro e sem educação, nada disso. O que acho é que, viver em função daquilo que os outros esperam de nós, é um desperdício de tempo útil.

Somos todos diferentes e eu não tenho direito de julgar as atitudes alheias, que não me prejudicam de forma nenhuma, por isso vou falar apenas de mim e das minhas convicções. Quem gosta de viver em função das aparências não me incomoda em nada, contando que essas pessoas não sejam o meu namorado ou as minhas filhas. Desejo melhor para eles.

Desde cedo que aprendi que quem quer falar mal de alguém fala e pronto, com ou sem motivo para isso. Quando era pequena era sossegada e boa aluna. Mas, mesmo assim, algumas vizinhas gostavam de dizer que era destrambelhada como tudo. E isto porquê? Porque andava sempre toda suja de subir a árvores e brincar no quintal, porque gostava de pular e saltar como a criança que era. Com 8 ou 9 anos não era propriamente uma "mulherzinha" que gostava de brincar às donas de casa e ajudar a mãe a cozinhar. Ainda não sou uma mulherzinha (nem isso está nos meus planos) quanto mais naquela altura.
Depois gostava era de brincar com rapazes. Mais tarde comecei a vestir roupas estranhas. E depois coloquei um piercing na cara. Estava tudo explicado. E lixado. Não havia solução para mim.

A certa altura aprendi a apreciar a diferença e, mais do que apreciar, desejar a diferença. Passei a ter um certo gosto em desafiar as regras estabelecidas e em fazer as coisas ao contrário do que era esperado. Isso não era muito simpático da minha parte.

O resultado foi gostar de fazer apenas o que me apetecia e gostar tanto que até hoje mantenho o mesmo comportamento. E isso ajuda-me imenso a fazer esta coisa complicada que é existir. Não faço grandes fretes, não finjo gostar daquilo que não gosto e não sigo opiniões alheias só para parecer bem. Não. Aceito opiniões e agradeço muito. Mesmo. Gosto de ouvir opiniões alheias mas só as sigo se achar que me servem. É até uma questão de respeito para com os outros. Acho eu.

Isto para dizer que quando alguém próximo me aconselha a fazer o contrário do que quero porque será melhor assim eu pergunto-me: "Será melhor para quem?" Mas como é que se pode pensar que fingir, fazer fretes e agir de forma contrária à vontade pode ser bom para alguém?

Que impressão pá.

 
Qui | 13.10.16

Maria #4 - Os 3 meses

maria-3-mesesParece que nasceu ontem mas já tem 3 meses.Até fica estranho dizer isto mas foram 3 meses muito fáceis e muito felizes. No geral vá.Ora vamos lá ver como estão as coisas:

A Maria com 3 meses

  • Continua a dormir muito bem à noite. Acorda uma, duas ou três vezes para mamar mas volta a dormir logo de seguida.
  • De dia não dorme muito. Faz umas três sonecas que variam entre 15 a 30 minutos. Lá muito raramente dorme umas 2 horas seguidas.
  • Fica muito irritada quando tem sono. Geralmente adormece a mamar ou a andar de carrinho. Cá em casa, dou grandes passeios de carrinho com ela entre a sala e o quarto das crianças.
  • Dá gargalhadas e farta-se de tagarelar. Mas não é fácil fazê-la rir às gargalhadas. É preciso uma mistura de caras, sons e festinhas muito particular. E tudo feito com muito sentimento senão ela percebe e não nos brinda com o seu entusiasmo.
  • Adora observar panos de cozinha que prendemos na alcofa com molas da roupa.
  • Quando está entusiasmada dá guinchinhos e mexe muito as pernas.
  • Acorda sempre muito bem disposta e a sorrir.
  • Há cerca de uma semana, começou a chuchar no dedo. Adormece assim muitas vezes. É a coisa mais fofa de ver. :Pimg_9672
  • Continua a não querer nada com a chucha. O dedo é muito melhor ;)
  • O cabelo continua a cair-lhe. A ela e a mim.
  • As unhas crescem super rápido. Corto umas duas vezes por semana e mesmo assim arranha-se imenso.
  • Gosta de observar a irmã e sorri quando a Lara fala com ela.
  • A posição preferida ao colo é de costas para nós para ir observando tudo. De preferência connosco em pé e em andamento. Se não estiver satisfeita, chora até a colocarmos nesta posição.
  • Já gosta de ver desenhos animados. Não é que veja muito mas, em situações de necessidade, fica uns minutinhos a ver desenhos coloridos e simples com músicas na televisão. Usamos sempre vídeos para bebés do Youtube.
  • Recentemente tornou-se muito caseira. Sempre que saímos mama mal e choraminga muito. Chega a casa e mama logo muito bem, adormecendo pacificamente de seguida.
  • Já está a ficar com cara de bebé grande. :) Ainda não sabemos a cor dos olhos mas podemos afirmar com clareza que é mais parecida com o pai.
  • Continua muito calma e pachorrenta.
Qua | 12.10.16

A minha primeira Maratona de cinema

* Cinematona #1 - Maratona de CinemaDe 12 de Setembro a 12 de outubro

eat-pray-love-movieMuito poderia eu dizer sobre esta experiência mas nunca mais saía daqui. Posso dizer que gostaria de ter feito uma seleção mais cuidada dos filmes para ver mas, como tive que me limitar ao Netflix e Youtube, fiquei sem grandes opções.Ainda assim vi filmes de que gostei muito: Cowspiracy, Look Who´s Back , Incendies, Scarface, L.A. Confidential e The Fundamentals of Caring.Vi também, o pior filme de sempre: Giselle.Os outros foram simpáticos, uns mais que outros.

Seguem os filmes que vi na Cinematona

1 - Um documentárioCowspiracyO facto de comermos carne de vaca está a colocar em causa, de uma forma muito grave, a sustentabilidade do mundo.Gostei bastante deste documentário que me colocou a pensar em muito boas razões para me tornar vegana. Mas acredito que a realidade que é descrita no filme não se aplica aos Açores.2 - Um filme europeuLook Who's BackHitler surge no século XXI e torna-se uma estrela da Internet.Gostei bastante desta sátira à sociedade em que vivemos e que parece ter aprendido tão pouco com o passado. Não foi um filme que me prendesse de imediato - nunca gostei especialmente do cinema alemão - mas, à medida que a história se ia desenrolando fui gostando cada vez mais.3 - Um filme de terrorThe Conjuring 2Uma casa está assombrada e um casal de senhores vão lá resolver tudo.Já tinha visto o primeiro e gostado. Dentro desta linha de filmes, estes até estão acima da média mas, com franqueda, só vi o filme por estar a participar na cinematona. Já não gosto de ver este tipo de filmes. De repente, deixei de me interessar. Prefiro coisas mais alegres ou bons thrillers psicológicos.4 - Uma comédia românticaFriends with BenefitsUm rapaz e uma rapariga torna-se amigos "coloridos e acabam por se apaixonar.O filme não é horrível nem nada disso mas, definitivamente, não é nada o meu género. Não gostei dos personagens, não achei especial piada a nada e toda aquela realidade parece-me plástica e sem substância. Este tipo de filmes é quase o contrário do que eu gosto num filme. As personagens não me dizem absolutamente nada.5 - Um filme recomendadoIncendiesDois irmãos recebem uma missão que os vai colocar numa busca pelo misterioso passado da mãe.Adorei este filme. Não tem cenas muito violentas mas, psicologicamente, pode ser um pouco pesado. Não é um filme leve nem agradável mas tem dos finais mais bem conseguidos que já vi. O final deixou-me mesmo atordoada. Para quem gosta de cinema um pouco mais alternativo, recomendo vivamente.6 - Um filme com o actor preferidoL .A. ConfidentialUma história policial de corrupção.Gostei bastante embora um dos meus atores preferidos, o Kevin Spacey, não tenha um papel com grande destaque.7 - Um filme com a actriz preferidaFinding NeverLandÉ uma bonita história de vários tipos de amor.Não gostei muito do filme, apesar da Kate Winslet - uma das minhas atrizes preferidas- estar excelente, como sempre. A história não me tocou...8 - Um filme eróticoGiselleNuma família muito disfuncional, uma rapariga seduz a madrasta e o filho da madrasta, para além dos vizinhos, amigos de amigos, entre outros.Posso resumir a minha opinião em duas palavras: "Não vejam."Muito mau mesmo. Acho que é o pior filme que alguma vez vi.Aquilo é uma mixórdia sem sentido. De erótico não tem nada, só de estranhíssimo e incompreensível. Nem com muito esforço consigo imaginar alguém a escrever aquele filme.9 - Um filme de 2016The Fundamentals of CaringUm homem, num estado de alguma fragilidade emocional, torna-se cuidador de um rapaz e, juntos, fazem uma viagem cheia de peripécias.É um filme fofinho dentro do género por isso gostei, apesar de não ser memorável.10 - Um filme que toda a gente viu menos euTop GunUm piloto de caça da Marinha dos Estados Unidos, muito bem parecido, é selecionado para participar num conceituado curso, o Top Gun onde vive um romance com uma instrutora.Boring. Por algum motivo toda a gente viu este filme menos eu.Era nisso que pensava enquanto estava a ver o filme.11 - Uma adaptação cinematográficaEat Pray LoveUma mulher recém divorciada, em busca dela própria, vai comer a Roma, rezar à India e amar à Indonésia.Não tinha grandes expetativas para este filme e, de facto, achei-o um filme bem mediano e com uma história pouco interessante. Mas, como gosto muito do tema "viagens", viu-se bem.12 - Um filme dos anos 80ScarfaceAscensão e queda de um mafioso cubano em Miami.Adorei! Nunca tinha visto este filme e depois de o ter visto mencionado várias vezes no canal de Youtube "Books & Movies" da Dora, resolvi vê-lo. E fiz muitíssimo bem. Adorei a interpretação do Al Pacino e o guião do filme.
Qua | 12.10.16

Comi isto tudo #9

[caption id="attachment_4952" align="aligncenter" width="680"]pao-de-alho-77 Pão de Alho no bar/restaurante "Pé na Areia" num fim de tarde passado com as miúdas à beira da praia.[/caption][caption id="attachment_4953" align="aligncenter" width="680"]pao-de-alho-7 Era bom e a dose muito simpática para duas pessoas.[/caption][caption id="attachment_4954" align="aligncenter" width="680"]prato-vegetariano-7 Um prato vegetariano inventado por mim com o que havia em casa. Chamei-lhe prato vegetariano nº 7.[/caption][caption id="attachment_4955" align="aligncenter" width="680"]bolachas-de-chocolate Bolachinhas de chocolate. Acordei um dia com vontade de fazer bolachas de chocolate.[/caption][caption id="attachment_4956" align="aligncenter" width="680"]croissant-misto Não resisto a um croissant misto de vez em quando. Prefiro massa de brioche a massa folhada mas neste dia não havia.[/caption][caption id="attachment_4957" align="aligncenter" width="680"]massa-com-nome-japones-Yakisoba Yakisoba de frango e legumes no Colmeia. Estava muito bom. :)[/caption][caption id="attachment_4958" align="aligncenter" width="680"]bolo-de-chocolate Bolo de chocolate de avelã com gelado de iogurte, também do Colmeia. Maravilhoso![/caption][caption id="attachment_4959" align="aligncenter" width="680"]chilli-vegetariano Chilli vegetariano feito pelo Milton.[/caption][caption id="attachment_4960" align="aligncenter" width="680"]capuccino Capuccino no Café Royal, numa das minhas pausas para ler.[/caption][caption id="attachment_4961" align="aligncenter" width="680"]queques-de-chocolate Queques de chocolate super fofinhos, feitos pela minha pessoa e a bymbi.[/caption][caption id="attachment_4962" align="aligncenter" width="680"]pudim-de-atum Pudim de atum nas férias. Especialidade do nosso amigo Victor Monteiro.[/caption][caption id="attachment_4963" align="aligncenter" width="680"]patanscas-de-bacalhau-e-batata-doce-no-forno Pataniscas de bacalhau de batata doce no forno, acompanhadas de tomate e cenoura. Cozinhadas por mim.[/caption][caption id="attachment_4964" align="aligncenter" width="680"]folhado-de-pera Folhado de pêra com canela sem açúcar. Delicioso! A receita mais fácil do mundo.[/caption][caption id="attachment_4965" align="aligncenter" width="680"]bavaroise-de-cafe Bavaroise de café delicioso, feito pela minha sogra.[/caption][caption id="attachment_4966" align="aligncenter" width="680"]quiche-de-requeijao-e-legumes Quiche de legumes e requeijão, feita em casa.[/caption][caption id="attachment_4967" align="aligncenter" width="680"]pizza-de-fiambre-caseira Pizza de fiambre caseira, com massa muito fina.[/caption][caption id="attachment_4968" align="aligncenter" width="680"]wrap-de-frango-na-praia Wrap de frango num almoço rápido na praia.[/caption][caption id="attachment_4969" align="aligncenter" width="680"]pequeno-almoco Torradas com queijo fresco de barrar, o meu pequeno almoço todos os dias.[/caption][caption id="attachment_4970" align="aligncenter" width="680"]morcela e chourico Chouriço e morcela num petisco ao jantar.[/caption][caption id="attachment_4971" align="aligncenter" width="680"]quadrados-de-inhame Bolo de Inhame. Maravilhoso![/caption]
Ter | 11.10.16

Aprender a ser mãe

Não é coisa que se faça nos livros. Eu sei.Mesmo assim não resisto a devorar uma série de livros, blogues e sites sobre parentalidade.Já tenho uma ideia muito clara de como devo lidar com criança nas mais variadas situações mas falta-me perceber exatamente o que lhes passa pela cabeça (ahahahah como se isso fosse possível).Desde pequena que tenho uma espécie de bug mental que me faz precisar de entender como funcionam as coisas para melhor lidar com elas. Acho que é por isso que não sou boa a matemática. Na escola não adiantava tentarem fazer-me decorar fórmulas sem me explicarem como se tinha chegado a elas. Interessa-me mais o processo de pensamento matemático que levou à criação das fórmulas do que o seu uso prático. Para resolver problemas, precisava de uma extensa aula de teoria matemática primeiro.Bem... escolhi humanidades por algum motivo.De modo que preciso mesmo de tentar perceber o que se passa na cabeça das minhas filhas para melhor lidar com elas. Claro que, se nunca perceber, vou dar-lhes sempre todo o meu amor e dedicação na mesma. Mas perceber o que se passa podia ajudar-me, e muito a reagir, melhor às problemáticas que vão surgindo.E, de acordo com a filosofia budista, a ignorância é a pior coisa que há por aí.De modo que, depois de devorar todos os livros do Mário Cordeiro - sim, mesmo os calhamaços que são o "O Livro do bebé" e "O Livro da Criança" -, vou ler o livro abaixo, escrito por uma psicóloga e mãe.O livro pretende ajudar a perceber o que se passa na cabeça dos miúdos, desde pequeninos até à fase da adolescência. Parece-me excelente!Já o tenho em casa. :)(Para mais informações é só clicar na imagem.)
Ter | 11.10.16

Uma das coisas que mais me lixa a dieta

cestinha-de-pao

É o pão.

Adoro pão.Acho que posso afirmar que sou viciada em pão: de trigo, de centeio, de milho... Não interessa, papo tudo.O meu "prato preferido" é pão com queijo, desde que seja um bom queijo, embora goste muito com manteiga (quando o pão é mesmo muito bom).Adoro pão alentejano, caseiro, croissants, brioches, de canela, de banana, com passas, de espinafres e todo o tipo que se possa imaginar.O meu preferido é o pão indiano, achatado como uma panqueca, cheio de especiarias e delicioso. Há uns dez anos, era possível comprá-lo no supermercado do El Corte Inglés. Agora não sei.Tenho excelentes memórias que envolvem este alimento o que pode, de certa forma, justificar esta minha adição.Quando vivia em Alpiarça, a minha vizinha do lado (que já vendeu a casa e vive agora num lar) fazia de vez em quando um pão caseiro delicioso e dava sempre um aos vizinhos. Ela tinha mesmo um forno de padeiro em casa e o pão era uma delícia. Ainda consigo sentir o cheiro e o calor daquele pãozinho. Estão a ver um pão quentinho, ainda a fumegar, comido aos pedaços com manteiga? Tão bom!!!!!! É isso.Depois lembro-me também do de Ansião, a terra dos meus avós maternos. Em Portugal, aquele foi o melhor que comi. Era grande e redondo e cortava-se às fatias. O miolo era denso e gostoso (devia ter poucas calorias devia) e mais uma vez ficava maravilhoso com manteiga. Os meus avós criavam cabras e tinhas queijos de cabra muito bons (que também adoro) mas o pão era mesmo gostoso com manteiga. Estão a ver o que quero dizer não estão?Aqui nos Açores, existe uma padaria, nas Capelas, que faz um semelhante que também é muito bom, mas não é a mesma coisa. Já vivi nas Capelas, bem perto dessa padaria em Santo António e, quando voltei para Ponta Delgada, fiquei feliz por me afastar dali onde haveria de desgraçar completamente a dieta.Hoje em dia o que encontro nos supermercados já não é como os pães da minha infância. Não é tão reconfortante e tão delicioso mas, mesmo assim, não paro de comer.Comparando com o que comia quando era pequena, o do hoje parece uma casca seca, sem sabor, sem consistência e muito pouco apetitoso. O que como normalmente é pão de mistura (que sempre é mais denso), ou cacetinhos integrais ou pão de forma com sementes, daquele escurinho do hipermercado continente.Mesmo não comendo diariamente um pãozinho tão maravilhoso, ainda como muito. Às vezes faço refeições de pão com queijo e leite (ao jantar principalmente) o que é péssimo para a dieta e para os níveis de glicose no sangue. O pão faz-me subir a glicose tanto ou mais que o açúcar. É por isso que, de acordo com a minha dieta, não devo comer mais que 50g de pão de cada vez e, de preferência apenas de manhã.Estou firme na minha resolução de comer menos deste alimento farinhento mas que é difícil é. E muito.
Dom | 09.10.16

A minha filha já brinca com bonecas

boneca 6Eis que, com 28 meses, a Lara finalmente resolveu brincar com bonecas.Antes ela só se interessava por livros, jogos e carrinhos e nós nunca contrariámos isso, muito pelo contrário. Oferecia-mos-lhe carrinhos (e bonecas também) e brincávamos com ela com os carrinhos ou com o que ela quisesse. Não acredito nos brinquedos de menino e de menina e acho ótimo que cada criança brinque com tudo ou com o que preferir.Mas eu sempre adorei bonecas e nunca deixei de as comprar para a Lara, embora durante estes meses eu tenha brincado mais com as bonecas que ela.Entretanto, desde que a irmã nasceu, que a Lara se tem interessado mais pelos "seus bebés". Quando vamos dar por ela, traz os seus bonecos carecas todos (sim, já tem uma pequena coleção) e está a sentá-los todos alinhados e a conversar (e a ralhar) com eles. É muito engraçado de ver.Um destes dias não resisti e comprei-lhe mais um destes bonecos carecas. Este com  um babete, um biberão, uma banheira e um bacio. É suposto enchermos o biberão de água, dar ao boneco e depois colocá-lo a fazer chichi no bacio. Achei que esta brincadeira podia entusiasmar mais a Lara para a utilização do bacio. Talvez ela achasse piada a ver a água no bacio e quisesse fazer o mesmo no seu bacio. Bem... parece que não atingi este objetivo com o boneco mas o facto é que ela gostou bastante dele e todos os dias tem brincado, levando-o para o banho, para a piscina e para a cozinha (os sítios onde pode brincar com água).Tento não lhe comprar muitos brinquedos, porque não precisa e também porque não quero de modo nenhum encorajar qualquer tipo de consumismo desnecessário cá em casa. Mas, às vezes, custa-me mesmo resistir a comprar-lhe brinquedos que acho que ela vai apreciar. É por isso que estas situações, em que ela chega a casa e tem um presente à sua espera, são muito pontuais mas existem e vão continuar a existir de vez em quando.Claro que vamos continuar a privilegiar, todos os dias, o melhor presente que lhe podemos dar: o nosso tempo e a nossa atenção. Tentamos que não exista um único dia em que não brinquemos com ela (só com ela), não lhe leiamos uma história, e não tenhamos um tempinho só para lhe dar muitos beijinhos e abraços e lhe demonstrarmos o quanto gostamos dela.boneca 4boneca 3boneca 5
Sab | 08.10.16

É fácil sair com duas filhas pequenas?

Mais ou menos.No início, quando a Maria nasceu, começámos logo a passear com ela (falei sobre isso aqui), mas sem a Lara. A Lara ia passear com o pai quase todos os dias mas eu ficava em casa com a Maria.Mais tarde, quando a Maria já tinha um mês, experimentámos sair com as duas, cada uma no seu carrinho e foi um filme. Chorava uma, chorava a outra, eu tinha ataques de riso nervoso... enfim. Foram tentativas muito cansativas.Provavelmente as coisas não corriam bem porque nós, os pais, estávamos nervosos e receosos e passávamos isso para as miúdas. O certo é que ficámos uns tempos sem sair com as duas ao mesmo tempo.Só que era verão e começou a deixar de me apetecer ficar em casa com a Maria, enquanto o Milton ia à praia com a Lara.Um dia fui também e fiquei com a Maria no bar da praia, onde a podia amamentar mais à vontade e estávamos protegidas do sol e do calor. Correu mais ou menos. A parte da amamentação foi a pior, mais uma vez porque eu estava demasiado nervosa.Mas não desisti. Saímos mais vezes a quatro (ou a cinco quando a minha sogra vinha connosco) e foi correndo cada vez melhor. Fizemos um churrasco com amigos, fomos almoçar fora em família a um restaurante mais ou menos lotado, e começámos a sair sempre os quatro ao fim de semana. E começou a correr tudo bem.Em primeiro lugar ganhámos experiência e percebemos quais os melhores sítios para sair com duas crianças. Percebemos, também, que era necessário levar determinadas coisas para que tudo corresse bem: várias mudas de roupa, brinquedos, protetor solar, várias fraldas de pano, mantas leves e grandes, canguru... Realmente são muitas coisas mas facilitam-nos muito a vida.Por outro lado, descontraímos muito mais. Dou de mamar em qualquer lado e já desisti há muito de cobrir a Maria com uma fralda enquanto ela mama. Não faço isso. Não me dá jeito, ela também não parece apreciar especialmente e só me atrapalha. Até agora nunca ninguém me disse nada e a minha qualidade de vida aumentou imenso.Assim sendo, as nossas saídas a quatro têm sido uma maravilha e só vamos para casa quando o tempo começa a ficar demasiado fresquinho.Ultimamente temos gostado de estar no "Bar Pé na Areia", numa praia perto de Ponta Delgada. Ficamos literalmente com o pé na areia e podemos estar descontraídos a tomar uma bebida e a conversar com uma vista fantástica para o mar, enquanto a Lara se diverte a brincar na areia mesmo ao pé de nós. Na última vez que lá estivemos, ela tinha adormecido no carro e dormiu a sesta numa espreguiçadeira na areia. A Maria, que já vê muito bem a certa distância, entretem-se muito mais tempo no ovinho ao pé de nós.Tem sido fantástico o facto da Maria ter nascido no verão e podermos passear todos juntos. Agora é aproveitar os últimos dias de bom tempo e pensar numa estratégia para nos divertirmos juntos, fora de casa, nos fins de semana de inverno.

Fotos no Pé na Areia

pe-na-areia-1pe-na-areiape-na-areia-2
Sex | 07.10.16

Maria #5 - O choro pré soneca

[caption id="attachment_5088" align="aligncenter" width="700"]maria-e-o-gato Usamos o ovo para sair de casa mas, em casa, trocamos o ovo pela alcofa. Esta foto foi tirada na casa de uns amigos. Usei a foto porque acho piada ao gato, que se enfiou na parte de baixo do carrinho.[/caption]Ora bem, a miúda está com 3 meses e já começa a ganhar as suas "coisas".A última é que só adormece a passear de carrinho.Estão a ver-me várias vezes por dia - sempre que a Maria quer dormir a sesta e à noite -  a passear de carrinho entre o quarto da Lara (que é o maior) e a sala? Pois. É o que faço.Provavelmente a culpa é minha, eu é que a habituei a isso.O que se passa é que, nos últimos dias, a Maria chora sempre que tem sono. Fica com um chorinho irritado, já de olhos fechados e não pára de chorar até adormecer completamente. Pode estar de barriga cheia, de fralda limpa, no quentinho da alcofa que chora sempre antes de dormir. Não faço ideia porque é que isso acontece e não me lembro da Lara ser assim. Normalmente a Lara chorava de sono quando não podia dormir porque estávamos fora de casa ou quando não tinha dormido a sesta.A Maria, teoricamente, pode dormir quando lhe apetecer. Por isso não percebo este choro.Como ela é pesadinha não a quero habituar a adormecer ao colo. A Lara adormeceu a ser embalada ao colo até aos 12 meses e, com as dores de costas que eu e o Milton já temos, esse método não é uma possibilidade para nós. De modo que comecei a dar voltas com o carrinho pela casa até ela adormecer. Ao mesmo tempo vou falando com ela, contando-lhe o meu dia, os meus planos e tal, e ela acabava por adormecer muito bem. Mas é preciso fazer sempre isso...Se alguém tiver alguma dica para mim, por favor partilhe.De facto, os bebés são todos muito diferentes e o que resultava para a Lara não resulta para a Maria.Se nada se alterar, não vou ficar chateada. :) Vou ver as coisas pelo lado positivo e pensar que sempre faço umas belas caminhadas enquanto adormeço a Maria no carrinho. Ginásio para quê?!
Qua | 05.10.16

Um filme sobre bullying que todos os miúdos deviam ver

a-girl-like-herVi este filme na semana passada e soube logo que o queria guardar para as minhas filhas verem.

A Girl Like Her

"A Girl Like Her", é sobre bullying e, embora não seja tão chocante como poderia ser, é suficientemente intenso para nos deixar desconfortáveis e a pensar seriamente no que é que podemos fazer, enquanto pessoas, para combater e sobretudo prevenir, a violência entre crianças e jovens.O tema do bullying é-me bastante próximo. Calculo que, de uma maneira ou outra, todos estarão familiarizados com o tema. Ou porque sofreram bullying, ou porque o praticaram, ou simplesmente porque assistiram a ele. Infelizmente este comportamento é tido como "comum" entre crianças e pouca importância lhe é dada (pelo menos até acontecer algo realmente grave).Na escola, até ao 7º ano, sofri algum tipo de bullying mas creio que nunca me afetou de uma forma irreversível ou demasiado grave. Os miúdos gozavam, às vezes chegavam a atos de violência física mas nunca foi uma coisa sistemática ou muito grave. Eu optava por esconder-me sempre que podia e da forma que podia. Tentava não dar nas vistas, nem que tivesse que enfiar-me na casa de banho durante os intervalos e, mais importante que tudo, sabia que não ia durar para sempre e que, mais cedo ou mais tarde havia de me livrar daquilo.Foi o que aconteceu no 7º ano: as turmas foram divididas e fiquei numa turma muito mais amigável, no 10º ano fui estudar para uma cidade vizinha e as coisas melhoraram ainda mais. Por isso, nem posso dizer que tenha ficado muito afetada com o bullying, ou se fiquei, não o noto.Quanto aos professores e diretores de turma, já na altura era para esquecer. Não faziam absolutamente nada. A minha mãe chegou a ir falar com a diretora de turma por uma vez um grupo de colegas me levantar a saia até ficar em roupa interior no meio da escola, e ela - uma figura simpática mas sem autoridade nenhuma -  desvalorizou completamente e agiu como se não pudesse fazer nada. E não fez.Mas existem casos realmente graves, de pessoas que ficam afetadas para a vida. E temos que estar atentos. Todos.Trata-se de um problema social, não é apenas um problema dos miúdos e dos pais. É um problema de uma sociedade individualista e pouco empática, perita em olhar para o lado perante alguém que precisa de ajuda.O problema do bullying não é só o facto de um miúdo agredir o outro. É o facto de todos os outros miúdos, professores e auxiliares deixarem que isso aconteça. É preciso prevenir estes casos e, não sendo possível prevenir, responsabilizar seriamente as pessoas envolvidas, sobretudo os pais dos miúdos que praticam as agressões, eles próprios também, muitas vezes  vitimas sociais e da própria família. É preciso responsabilizar e também oferecer ajuda. A todos.Se eu não conseguir explicar melhor as coisas às minhas filhas esta realidade (e mesmo que consiga) gostava que vissem este filme que nos dá a perspetiva da vitima, mas também da agressora, através de um documentário ficcionado, que nos coloca na pele de quem sofre bullying e também na pele de quem o pratica.Acabei o filme de lágrimas nos olhos, o que não é muito normal.E, desta vez, saí do meu papel de criança - em que me enfiava sempre que ouvia falar de bullying - e entrei no papel de mãe, de educadora e de membro responsável de uma sociedade que se quer mais muito mais empática, para bem da sua própria sobrevivência.Entretanto tenho ouvido falar muito bem de um livro - um romance de Jodi Picoult - que, de acordo com as críticas, retrata este assunto com uma mestria literária e uma sensibilidade excecionais. A autora consegue colocar-nos na pele de um jovem que comete um acto de violência avassalador, depois de sofrer bullying durante vários anos, e fazer-nos perceber de que forma um ser humano normal pode ser levado ao limite.Vai ser uma das minhas próximas leituras.Deixo o link do livro abaixo (basta clicar na imagem) para mais informações.async type="text/javascript" src="https://primetag1.azureedge.net/static/build/embed.js">
Ter | 04.10.16

Um fim de semana cheio de coisas boas e outras mais ou menos

Não parámos em casa no último fim de semana. O que nos deixou a todos muito satisfeitos, menos à Maria.A rapariga é muito caseira e apegada à rotina (provavelmente é por ter apenas 3 meses ou então é mesmo feitio). Quando saímos de casa chora muito mais, não quer mamar e custa-lhe dormir. Pode ser na rua, no supermercado ou em casa de amigos, simplesmente fica irritadiça e só acalma em casa. É instantâneo. Chegamos a casa e ela mama e dorme toda satisfeita.Mesmo assim, quase não estivemos em casa neste fim de semana.No sábado deixámos a Lara na avó e fomos com a Maria fazer "as compras grandes", aquelas em que enchemos o porta bagagens do carro de dezenas de sacos, de duas superfícies comerciais diferentes e, perto das 14h00 percebemos que não conseguimos fazer tudo o que tinhamos planeado.À tarde fomos até às Capelas visitar uma Quinta Pedagógica - a Quinta do Norte - com uns amigos e o filhote de 3 aninhos.A Lara adorou: andou de pónei, viu vaquinhas, porquinhos bebés, cãezinhos, perus, galinhas e pintainhos. Quase levou um beijinho de um bezerrinho a que fez uma festinha. Ela não teve medo nenhum e, ao ver as vaquinhas tão mansinhas e meiguinhas, eu fiquei cheia de remorsos por comer carne de vaca de vez em quando. Estou a chegar a um ponto em que já não consigo justificar à minha consciência o facto de comer carne. Mas isso é assunto para outro post.Havia muito mais para ver e existiam várias atividades giras para miúdos e adultos - era o dia de inauguração - mas já chegámos tarde e estava um vento muito frio, que nos impediu de andar muito tempo a passear pela quinta. Mesmo assim foi muito giro e havemos de lá voltar outras vezes.Aproveitámos para fazer um jantar de petiscos e eu consolei-me com o pão das Capelas - seguramente um dos melhores que já comi -, com uma malassada quentinha acabada de fazer e um bolo de inhame delicioso. E era tudo tão barato...Pelas 20h00 voltámos para casa e as miúdas estavam tão cansadas que adormeceram logo.No domingo deixámos o pai com a Maria a fazer o almoço e eu e a Lara fomos passear para um dos jardins que ficam perto de casa. Fizemos bolinhas de sabão e a Lara brincou com um cãozinho super fofo. Ela gosta muito de animais e não tem medo nenhum.Gostei mesmo muito do nosso passeio a duas. Tive mesmo consciência do tanto que a minha filha cresceu e de como gosto da sua companhia.À tarde, depois da sesta da Lara, fomos lanchar  a casa de uns amigos que têm uma filha dois anos mais velha que a Lara. Nas horas em que lá estivemos  a Lara divertiu-se imenso a brincar com a filha dos nossos amigos e com as moedas dela. :D A Lara tem uma queda por moedas, vai-se lá saber porquê.Quando chegámos a casa, as miúdas estavam KO e adormeceram logo. Perfeito.As coisas mais ou menos do fim de semana foram os chorinhos irritados da Maria que, aos 3 meses, resolveu que estar em casa é que é bom. Fora de casa mama mal e choraminga muito. Chega a casa e transforma-se completamente. É comer e dormir o mais pacificamente que se pode imaginar. :PBem... apesar disso adoro passar o fim de semana fora de casa com elas. A Lara e o pai também gostam muito. Tenho é que arranjar um plano para entreter a Maria.

Seguem as fotos do fim de semana

[caption id="attachment_4937" align="aligncenter" width="680"]quinta-pedagogica-77777 Lara a andar de pónei. Foi mesmo giro.[/caption][caption id="attachment_4939" align="aligncenter" width="680"]quinta-pedagogica Deu duas voltinhas e depois fez-lhe umas festinhas na cabeça.[/caption]

quinta-pedagogica-7

[caption id="attachment_4938" align="aligncenter" width="680"]quinta-pedagogica-77 A ver as vaquinhas ao longe. Depois havia de ver mais de perto uns bezerrinhos muito mansinhos.[/caption]

quinta-do-norte-1

[caption id="attachment_4940" align="aligncenter" width="680"]quinta-pedagogica-8 Havia muitos cães para adoção. Infelizmente não temos espaço para mais animais no apartamento.[/caption][caption id="attachment_4943" align="aligncenter" width="680"]quinta-pedagogica-5 Parte do jantar.[/caption][caption id="attachment_4946" align="aligncenter" width="680"]quadrados-de-inhame Quadrados de Inhame. Deliciosos! Mesmo.[/caption][caption id="attachment_4947" align="aligncenter" width="680"]quinta-pedagogica-2 Lara a brincar com o amigo numa zona de atividades para crianças.[/caption][caption id="attachment_4945" align="aligncenter" width="680"]quinta-pedagogica-3 Os escuteiros.[/caption][caption id="attachment_4936" align="aligncenter" width="680"]lara-e-as-moedas Lara, no domingo, toda satisfeita a brincar com moedas. Claro que lhe lavámos bem as mãos depois.[/caption][caption id="attachment_4935" align="aligncenter" width="680"]lara-as-moedas-e-o-gato O mais recente gatinho dos nossos amigos, resgatado da rua. É uma bolinha de pelo amorosa. :D[/caption]

Pág. 1/2